Depoimentos

Método Supera - Depoimento - Luíza
Método Supera - Depoimento - Soeni
Método Supera - Depoimento - Raphael
Método Supera - Depoimento - Celso

Veja o que os alunos estão falando sobre o SUPERA:

  • Eu notei que a concentração atua sobre a memória melhorando muito as minhas atividades.

    Uma coisa muito importante que aconteceu comigo depois do SUPERA foi a melhora da concentração, ajudando também na memória. No dia a dia, fazemos as coisas um pouco automaticamente nos conformamos com as falhas.

    Eu notei que a concentração atua sobre a memória melhorando muito as minhas atividades.

    Exemplo: eu preciso fazer determinadas tarefas em lugares diferentes, hoje eu consigo com exercício de memoria e concentração executar todas.

    O SUPERA me deu o norte para que isso acontecesse!

    Estela Maris Zoldan Zortea, 67 anos, aluna SUPERA Campos Novos (SC)

  • “Percebemos muitas mudanças no raciocínio, concentração e respeito às regras”.

    “Ficamos sabendo da escola SUPERA através de redes sociais e fomos visitar a escola para ter mais conhecimento e achamos que seria bom nosso filho frequentar.
    O Arthur é um menino muito inteligente e não tem problemas de aprendizado! Muito pelo contrário: ele pega muito fácil, porém é agitado demais e tem dificuldades de concentração.
    Hoje, após 6 meses frequentando o SUPERA, percebemos muitas mudanças nele, principalmente no raciocínio, concentração e respeito às regras impostas.
    Percebemos que as atividades são desafiadoras e isso faz o Arthur gostar cada dia mais das aulas. Ele diz que não é chato estar na aula e sim gostoso, que o tempo passa rápido demais.
    Imaginem como é prazeroso para nós pais ouvir isso de um filho... Então só temos elogios a fazer ao método SUPERA e com certeza logo o Vinicius (nosso filho menor), também irá frequentar a escola”.


    Lourdes Mecabô, mãe do aluno Arthur, 9 anos – SUPERA Campos Novos (SC).

  • Ex– aluna SUPERA, Zeni Ramos é aprovada no The Voice +

    A primeira edição do The Voice +, voltado para o público 60+, foi ao ar no último domingo (17) na TV Globo esbanjando talentos de todo o Brasil e com a presença para lá de especial da ex – aluna SUPERA unidade Salvador - Garibaldi, Zeni Ramos, de Salvador (BA).

    Cantando a música Babalu a cantora de 67 anos encantou a cantora e conterrânea Claudia Leite, primeira a virar a cadeira para a artista, conquistando por fim todos os jurados. Em entrevista ao site do SUPERA a cantora contou um pouco da emoção de se apresentar para todo o Brasil, confira:

    Como foi para a senhora ser selecionada para o The Voice +?

    Zeni Ramos – Na verdade, eu não comecei esse processo. Meu sobrinho viu e passou para a minha filha, e ela começou a checar como funcionava tudo. Conversou com meu esposo e meu filho. Eles foram selecionando o material e foram enviando. Até aí eu não sabia de nada. Eles só me disseram quando eu precisava entrar no processo. Eu tomei um susto. Eu tive que entrar quando precisei gravar um vídeo ao vivo, sem nenhum instrumento, ao vivo, só a voz. Eu me organizei aqui na sala, mas ainda estava um pouco resistente porque achava que eu não tinha nenhuma chance. Disse à minha filha que não queria, ela me disse que não tinha mais jeito. Estava inscrita e tinha que gravar. Sentei-me e gravei. Fiz da melhor forma que pude fazer e ela enviou. Minha filha continuou mantendo o contato. Foi etapa por etapa. Começaram a pedir outras coisas, por exemplo, para gravar outra música, outras, depois com uma base que eu tivesse em casa, sem muito recurso mesmo. Comecei a gravar algumas músicas que eu tinha feito no último show. Fui colocando as bases e mandando. Só bem adiante que eu fui me conscientizar que eu realmente estava no programa.

    Já tinha imaginado participar de um programa deste porte?

    Zeni Ramos - Nunca poderia imaginar. Ainda jovem, mesmo cantando em vários eventos, de portes mais variados, empresas, cerimônias de casamento, formaturas de medicina, engenharia, cheguei a cantar para 30 mil pessoas. Mas até aí eu achava mais ou menos normal. Mas estar no palco do The Voice+ na TV Globo, nunca me imaginei.

    Artista encantou a conterrânea Cláudia Leite e os demais jurados com a canção Babalu. Na entrevista ela contou um pouco deste momento, confira
    A cantora Zeni Ramos, participante da 1ª edição do programa The Voice +

    Qual é a importância do canto na sua vida?

    Zeni Ramos - O canto é tudo na minha vida, ontem, hoje e sempre. Eu canto desde muito novinha, desde os 7 anos de idade. Eu nunca puder migrar para a carreira do canto popular, mas fui ser cantora de igreja porque minha mãe assim o quis. Feliz da vida, sempre onde tinha a oportunidade de abrir meu bocão em cima de qualquer lugar mais alto eu fazia, até em árvores. Mas pelo desejo de minha mãe, que também era cantora de igreja, eu cantava ali. Ela tinha muito medo de que eu ingressasse na carreira artística. A cantora naquela época não era bem vista, eu não sabia o que isso significava, só vim saber muitos anos depois. Mas eu não questionei. Aceitei. A primeira vez que eu cantei fora da igreja, profissionalmente, eu já estava com 35 anos, em 1991, quando eu fiz o meu primeiro show solo. A pedido de dois amigos que me acompanhavam muito nos eventos religiosos, queriam me ver cantando música popular. Fui para o teatro da Casa do Comércio e ali fiz meu primeiro show. Aproveitei o gancho do concurso Troféu Caymmi, aproveitei e inscrevi o show nesse projeto para ter mais coragem. Nessa ocasião, minha mãe adoeceu. Ficou tão emocionada, que não foi. A banda foi indicada como melhor banda de apoio, mas não levamos o prêmio. Já foi um estímulo, pois nos apresentamos na concha acústica do Teatro Castro Alves. Em termos de visibilidade, foi muito bom.

    Quais são seus planos após o programa?

    Zeni Ramos - Eu não sei, realmente não faço a menor ideia. Falei com meus amigos que estou indo até quando Deus me permitir. Não sei para onde vou ou o que vou fazer depois. Meus filhos e meu marido acham que vou fazer muito show, mas eu não saberia dizer. Estou gostando do momento, que está sendo extremamente prazeroso. Depois, Deus é quem sabe.

    Como está o assédio na região?

    Zeni Ramos - Ah, incrivelmente fascinante! Eu não imaginei que tivesse a repercussão que teve. Eu moro no município de Lauro de Freitas, não conheço muitas pessoas. Não conheço muitas pessoas além dos amigos da Igreja. Todos que conheço são de Salvador, então eu me sinto representando a cidade de Salvador que é onde eu nasci. E lá está um burburinho tremendo. As pessoas se reunindo em família e passando para outras pessoas e repercutindo esse momento de maneira que não imaginava. Número de seguidores que cresceu, de compartilhamentos, número de mensagens que chega... Todo mundo me ajudando a responder, dar o feedback a todo mundo. Elegi um grupo que está me ajudando para não ficar ninguém sem resposta. Como vai ser depois? Não tenho a menor ideia. O bom é o agora.

    Como seus amigos e familiares reagiram a sua participação?

    Zeni Ramos - Na verdade, minha filha que fez tudo e minha irmã. Tem me ligado pessoas da família que há muito tempo eu não falava. Pessoas, colegas, enfermeiras, amigos de infância, todo mundo tem me ligado, desejado boa sorte, fazendo corrente positiva. 

    Qual é a importância do canto para se manter ativa na terceira idade?

    Zeni Ramos – Cantar para mim é um dom. Primeiro, eu agradeço a Deus por esse dom, que eu recebi gratuitamente, e que consegui passar para tanta gente. Pensar que eu cantei para inúmeras noivas, eu me emociono. Quando eu comecei a cantar nos casamentos, eu me escondia porque eu chorava muito. Foram muitos, milhares de casamentos. Desde os 17 anos, quando eu fiz o primeiro casamento, na cidade de Aracajú. Eu acho que o canto traz benefícios para o corpo, alma, mente, espírito.

    Como a senhora se sente cantando?

    Zeni Ramos - Quando eu estou cantando eu sinto como se meu corpo saísse um pouco do chão, eu me sinto anestesiada. Eu me sinto tão feliz, tão feliz que realmente sinto que estou flutuando. Sinto cócegas nas mãos. É um prazer tão grande que eu não quero sair. O bom de tudo é você saber que é feliz fazendo isso e está fazendo as pessoas felizes. É divino.

  • Teve COVID19 e perdeu o paladar? Entenda seu cérebro e recupere o prazer de comer

    Mais de cinco milhões de brasileiros tiveram contato com o vírus COVID19 até outubro e, como consequência, inúmeros apresentaram sequelas ligadas ao olfato e ao paladar. Este foi o caso de Ana Paula Lino, colaboradora SUPERA em São José dos Campos. Assim como outros acometidos pela doença, Ana sentiu que algo estava errado poucos dias após a confirmação de que estava com COVID19 “Com seis dias de doença eu percebi que não estava sentido o cheiro e o gosto das coisas, depois disso perdi a vontade de me alimentar. Não temos essa dimensão, mas os sentidos nos motivam a comer, já que isso é um prazer”, disse a gerente.

    Milhões de pessoas estão se recuperando da doença

    Assim como Ana, milhões de brasileiros que já afastaram o risco de transmissão da doença estão agora reaprendendo os cheiros e sabores, o que nem sempre é uma tarefa simples como explica o Neuro intensivista Marcos Paulo Bossetto Nanci “Quando deixamos de sentir, seja o paladar, seja o olfato, ou qualquer outra sensibilidade, a região do cérebro responsável por esta sensibilidade, para de receber estes estímulos, deste modo existe uma tendência que a região do cérebro sofra atrofia por perda das sinapses, e essa perda das sinapses vai levando a uma morte de neurônios. Com o passar do tempo, esta alteração por perda das sinapses acaba sendo irreversível”, alertou o médico.

    E agora? – Mas calma. Mesmo em outras doenças, a perda de olfato e de paladar é comum e quase sempre reversível. Além do COVID19, a perda também acontece em resfriados simples e gripes. O tempo para reversão – no entanto varia de acordo com o quadro “Diversas doenças que conhecemos, além da infecção pelo corona vírus, podem levar a uma perda de olfato e do paladar. Um resfriado simples ou uma gripe, seriam os casos mais comuns, mas também quadros neurológicos como Alzheimer, Parkinson ou traumas crânio – encefálicos podem levar a perdas tanto do olfato, quanto do paladar. Se a perda de olfato ou paladar durar de sete a dez dias, procure um médico para fazer o diagnóstico e tratamento correto”, detalhou o médico.

    Como recuperar ? Assim como o nosso corpo, o nosso cérebro também possui memória. Em uma situação como esta isso fica ainda mais evidente. Estímulos simples podem ajudar nesta recuperação e o melhor: isso pode ser feito em casa “A reversão do olfato pode acontecer por mecanismos simples: por exemplo: cheirar várias vezes ao dia as substancias que nós temos na nossa casa, como café, vinagre de vinho ou até mesmo essências de baunilha. Isso tende a estimular os nervos olfativos, e esses nervos olfativos voltarem a funcionar”, disse.

    “Com seis dias de confirmação da doença eu percebi que não estava sentindo o sabor da comida e não sentia o cheiro... depois disso perdi a vontade de me alimentar porque não tinha mais o prazer de comer e tinha também a preocupação de saber se comida estava boa ou não. O prazer em comer começa quando você sente o cheiro da comida...”

    Ana Paula Lino – Gerente de Expansão do SUPERA

    Neuróbica – Cheirar os alimentos, como os citados pelo médico, são também exercícios conhecidos como neuróbicas.A proposta das neuróbicas – que funcionam como a aeróbica dos neurônios – é justamente tirar o cérebro da sua zona de conforto e potencializar as suas habilidades cognitivas “As neuróbicas estimulam padrões de atividade neurais que criam conexões entre as diferentes áreas do cérebro e fazem com que as células nervosas produzam nutrientes naturais do cérebro, as neurotrofinas, que podem aumentar de maneira considerável o tamanho das dendrites das células nervosas”, explica Solange Jacob, Diretora Pedagógica do Método SUPERA

    “Todo treinamento para o cérebro é importante, neste período na tentativa de reversão tanto da perda do olfato, quanto do paladar. Café, vinagre de vinho ou até mesmo essências de baunilha devem ser cheiradas várias vezes ao dia. Esses exercícios estimulam os nervos e estimulam as regiões específicas do cérebro responsáveis por essas sensações e assim a tendência é de que haja uma reversão do quadro mais rapidamente”

    Marcos Paulo Bossetto Nanci - Neurointensivista

    As sequelas da COVID 19 ainda estão sendo detalhadas pela ciência. No caso de Ana Paula, no 16º dia de confirmação da doença, cerca de 40% do olfato e paladar já tinham sido recuperados. Para recuperar o prazer de comer, Ana recorreu aos seus alimentos e cheiros preferidos, o que, para ela foi positivo “Eu ainda estou sem sentir o cheiro e o gosto, mas a médica disse que, no caso do COVID19, isso pode durar semanas ou até meses. Chegou um momento que eu racionalizei porque estava perdendo peso e me forcei a comer para não perder peso. Comecei então a comer os alimentos que eu gostava mais e assim consegui me alimentar melhor”, lembrou. Segundo doutor Marcos Paulo, existe uma intima relação entre o olfato e o paladar. A perda do paladar muitas vezes está relacionada a diminuição do olfato. Com a reversão da perda do olfato, a perda do paladar também é revertida. Alterações do paladar podem acontecer por problemas específicos, na boca, na língua, e isso leva também a outras dificuldades “É claro que, para doenças mais sérias, o auxílio médico e a pesquisa médica é essencial. Então, qualquer perda de olfato ou perda de paladar associada, é importante que se procure um médico para fazer o diagnóstico”, concluiu.

    Interessante, não é mesmo? Aproveite para conhecer o Método SUPERA de perto! Clique aqui e agende uma AULA GRÁTIS.

    Assessoria de Imprensa SUPERA

    Ana Lucia Ferreira | analucia.comunicacao@metodosupera.com.br

  • Dia das Crianças: Franquias SUPERA realizam doação de brinquedos

    O Dia das Crianças foi especial para centenas de crianças no Brasil beneficiadas por doações que foram entregues ao longo dos últimos dias nas unidades SUPERA. A ação foi motivada pela campanha "Transformar uma vida" realizada nos dez primeiros dias de outubro. Por meio do esforço de alunos e dos gestores das unidades, instituições e comunidades carentes de várias partes do Brasil foram beneficiadas com brinquedos novos e em bom estado de conservação.

    Doações na unidade SUPERA Campinas Taquaral (SP)


    A Ação foi coordenada pelo Método SUPERA e realizada em todo o Brasil, com destaque para a arrecadação nas unidades Vilhena (RO), Valença (BA), Paulo Afonso (BA), Sete Lagoas (MG), Piumhi (MG), Maricá (RJ), Campo Grande (MS), no Rio de Janeiro as unidades Flamengo, Extrema e Botafogo além de Ribeirão Preto (SP), Valinhos, Caxias do Sul (RS).

    Em Campinas, a unidade sob o comando do empresário Oswaldo Ogihara arrecadou 60 brinquedos ao longo da semana. As doações foram entregues a ABBA (Associação Beneficente Boa Amizade) em uma grande festa realizada no dia 12 de outubro.

    O franqueado Gabriel no Ceará

    “Foi um momento único, que deixou todos muito felizes, inclusive nossos alunos que aderiram a ação, saindo de suas casas para entregar o presente na escola ou pedindo para que nós retirássemos o presente em suas casas. Foi muito bom! As crianças na ABBA nos encantaram demais, foi muito emocionante para toda equipe. Mesmo neste momento de distanciamento, gerar essa breve aproximação com as crianças foi uma satisfação enorme”, comemorou o franqueado Oswaldo Ogihara. Já a unidade SUPERA em Parquelândia, Fortaleza (CE) arrecadou 604 fraldas e 75 brinquedos, beneficiando o Abrigo Tia Júlia, entidade que atende a região.

    Doação entregue em Paulo Afonso (BA)

    Em Ribeirão Preto (SP), foram mais de 200 brinquedos arrecadados para a Casa das Mangueiras. A entrega aconteceu na terça–feira.

    “Nossa ação do Dia das Crianças foi super produtiva e efetiva, todos os nossos alunos se empenharam muito na doação de brinquedos e até a questão do púbico externo porque houve uma movimentação da comunidade local, estamos muito felizes” concluiu a empresária Josiane Sônego Salesse Vieira.

    Aproveite para conhecer o Método SUPERA de perto! Clique aqui e agende uma AULA GRÁTIS.

  • Encontrei algo novo e diferente no SUPERA

    " Me encantei com tudo e com todos. Sempre me preocupei com o meu envelhecimento saudável e em ter uma uma mente ativa, no SUPERA encontrei isto. A pandemia veio, encolhemos em casa, mas isto não mudou nada. Na verdade, continuamos com nossas aulas on-line, com todo respeito e com toda dedicação de sempre por parte da professora Lorrany e interesse também da nossa parte. Me sinto feliz lá. Na verdade, já melhorei a minha atenção, meu raciocínio, minha memória e o meu espírito criativo está bastante aguçado. Como se não bastasse, a direção do SUPERA disponibilizou jogos cognitivos que nos foram entregues em casa, para que continuássemos o nosso treinamento.”

    Maria Inez de Paiva Peixoto, aluna SUPERA BH - Buritis (MG)

  • O SUPERA me ajudou muito a combater a ansiedade

    "Participo das sessões semanais do SUPERA há quase 1 ano. O SUPERA me ajudou muito a melhorar meu foco, a empatia, a percepção, a autoestima, o controle da ansiedade, o trabalho com nossa memória e a resistência a frustração. Cada mês trabalham um tema diferente e a cada aula uma reflexão nova. O treino com o ábaco chinês nos possibilita ganhar foco e as contas são mais rápidas que uma calculadora. Na segunda parte da sessão, após breve intervalo, vem os jogos que estimulam criatividade, percepção, memória. Muito prazerosos! São duas horas que passam rapidamente. Ali, não existe a palavra dificuldade, e sim desafios! Minha turma é heterogênea em idade, mas todos se comunicam muito bem, pois desenvolvemos uma excelente empatia! E o SUPERA Online nos permite melhorar ainda mais nossas habilidades. O programa mostra nossa evolução e sugere estímulos às nossas fraquezas! Existem jogos de atenção, memória, linguagem, raciocínio lógico e visão espacial. Eu prefiro os de linguagem e atenção!Nessa fase de pandemia, estando preso em casa há 69 dias, o SUPERA Online me ajudou muito a combater a ansiedade."

    Ivan Tavela, 67 - aluno do SUPERA Extrema (MG)

  • O SUPERA me ajudou no crescimento pessoal

    " Nesse momento, se faz necessário "buscar" construir dinâmicas, que nos ajudem a descobrir potenciais até então adormecidos, concluindo que: 1 - Eu quero. 2 - Eu posso 3 - Eu sou . E hoje, consegui transpor barreiras que talvez, em função  da minha timidez, bloquearam decisões importantes em minha vida. A mim, resta agradecer e reconhecer todo o apoio que recebi, contribuindo para meu crescimento pessoal! Obrigada!"

    Sara Maria Beserra, 76 anos - aluna do SUPERA Jaboatão dos Gurarapes - Piedade (PE)

  • O SUPERA me ajuda na resolução de problemas diários

    " Desde que comecei a frequentar o curso, em julho de 2019, dedico 20 minutos diários a exercitar meu cérebro. Para isso, treino com o ábaco japonês, que estimula a habilidade motora e a concentração, e com o livro Abrindo Horizontes, que tem exercícios desafiadores e divertidos, que desenvolvem raciocínio lógico, memória e foco. Meu desenvolvimento é gradativo e percebi que a minha memória e atenção melhoraram no meu dia a dia e no meu trabalho. Hoje, se estou em um local barulhento, consigo ter foco e concentração em uma atividade e executo-a até o fim - antes do SUPERA eu não conseguia. Na resolução de problemas diários, conto com um raciocínio mais rápido, claro e objetivo. Eu aconselho todas as pessoas, de qualquer idade, a desfrutarem dessa experiência, onde a individualidade é respeitada e os resultados alcançados são surpreendentes."

    Maria Cristina - 57 anos, aluna do SUPERA Extrema (MG)

  • O curso me faz voltar a ser jovem de novo

    "Olá! Sou José Antonio, mais conhecido como Prof⁰ Zezinho, aluno do SUPERA/PIEDADE. Quero explicar e justificar a minha enorme satisfação pelo curso, diretoria, educadoras e grupo administrativo. Aos 70 anos, o SUPERA está me fazendo voltar a ser criança... e além disso, tenho estimulado minha memória,  raciocínio e também conhecido pessoas sensacionais. Por essa razão, recomendo a todos os meus amigos."

    José Antonio - 70 anos, aluno do SUPERA Jaboatão dos Guararapes - Piedade (PE)

Página 1 de 52
FECHAR (X)

SUPERA PRESENCIAL

O Supera Ginástica para o Cérebro é voltado para todas as pessoas a partir de 5 anos, sem limite de idade. O curso potencializa a capacidade cognitiva aumentando a criatividade, concentração, foco, raciocínio lógico, segurança, autoestima, perseverança, disciplina e coordenação motora. As aulas, ministradas uma vez por semana com duração de duas horas, são dinâmicas e contagiantes, com atividades que agradam todo tipo de público.

SUPERA para escolas Método de estimulação cognitiva

Exclusivo para Instituições de Ensino. O SUPERA é a mais avançada ferramenta pedagógica de estimulação cognitiva e, portanto, representa um grande diferencial para sua instituição de ensino. Além de ser um excelente recurso de marketing, o método melhora o desempenho dos alunos e eleva os índices de aprovação da sua escola.

Franquia SUPERAEmpreenda em Educação

Criado em 2006, o SUPERA é hoje a maior rede de escola de ginástica para o cérebro do Brasil. Em um ano de operação, entrou para o sistema de franquias e hoje já possui 400 unidades no país. O curso, baseado em uma metodologia exclusiva e inovadora, alia neurociência e educação. Se você tem interesse em empreender nesta área, deixe seu cadastro em nosso site.

© Método SUPERA Todos os direitos reservados. Política de Privacidade

Gostou? Venha conhecer o Método SUPERAFaça uma aula grátis