Dia dos Pais: como o cérebro reage à paternidade?

Publicado em: 08/08/2019 por: Assessoria de Imprensa SUPERA

Dia dos Pais! Quando pensamos em nossos pais, associamos a imagem paterna à segurança, conforto, apoio… verdadeiros super-heróis, que sempre irão nos proteger e nos salvar em qualquer ocasião. Quando os homens se tornam pais, algo acontece: todos ficam mais responsáveis, cuidadosos e atenciosos. Você sabia que as respostas para todas essas transformações estão nas mudanças que ocorrem no cérebro?

Dia dos Pais: como o cérebro reage à paternidade? - SUPERA - Ginástica para o Cérebro
A paternidade faz com que o cérebro estabeleça novas conexões neurais e passe por transformações

De acordo com um estudo feito pela Universidade de Bar-Ilan, em Israel, homens também desenvolvem novas conexões neurais quando se tornam pais, potencializando a capacidade de cuidado e criação. O estudo foi feito com pais de primeira viagem e mostrou que o tal “instinto materno” também ocorre com eles.

Supera e você na Disney

O estudo analisou os níveis do hormônio ocitocina, liberado em situações de afeto e carinho e que ajuda a construir o sentimento de confiança durante as interações entre pais e filhos.

Cientistas afirmaram que existe a ativação de uma rede neural em dois níveis: nível que lida com emoções fortes, atenção e recompensa e o nível de aprendizado e experiência. A atividade neural se torna mais intensa de acordo com a quantidade de tempo que é passado entre pais e filhos.

Quando o filho sorri ao seu pai durante uma partida de futebol, durante a troca de fraldas ou em seu primeiro dia na escola, o circuito de recompensa do homem é ativado, trazendo ao pai uma sensação de bem-estar e reforçando o laço de união entre os dois.

Outro fator que ocorre é o aumento do hormônio prolactina; homens tem o seu instinto mais aguçado para o choro dos bebês ou situações em que o filho precise de apoio. Esse hormônio é responsável pela chamada “gravidez empática” que acontece em alguns homens.

Ginástica para o cérebro unindo gerações

Exercitar o cérebro também é uma atividade que pode unir pais e filhos; afinal, quando os filhos apresentam bons resultados em diversos aspectos da vida, o sentimento de recompensa dos pais é muito maior e a relação se torna mais saudável.

Neyvaldo Lopes, é pai de Heytor. Heytor pratica ginástica para o cérebro na unidade SUPERA Marabá e apresentou diversos benefícios, como concentração e foco em suas atividades de rotina; contribuindo para uma relação mais saudável em casa, na escola e em suas relações pessoais.

“ O Heytor sempre foi uma criança muito agitada e ele sempre teve uma dificuldade de concentração. Então, a vinda dele ao SUPERA contribuiu para essa parte. Hoje ele é uma criança que se concentra melhor, tanto no SUPERA quanto em outras atividades”, conta Neyvaldo.

Confira o depoimento aqui:

Dentro das salas de aula do Método SUPERA, os alunos desenvolvem competências cognitivas e socioemocionais a partir de ferramentas inovadoras; como o ábaco, Tangram, jogos de tabuleiro, dinâmicas e apostilas de exercícios para o cérebro. E nada melhor do que garantir qualidade de vida em família não é mesmo?

Tatiana Olivetto – Assessoria de Imprensa Método SUPERA

Assessoria de Imprensa SUPERA

Supera - Ginástica Cerebral, Pratique! Curso para todas as idades

Mantenha-se atualizado. Assine nossa Newsletter



Posts Relacionados