“Xi, estava na ponta da língua” – Como diminuir a falta de memória

Publicado em: 23/04/2020 Por Assessoria de Imprensa SUPERA

Certamente isso já aconteceu com você. Aquela palavra que estava na ponta da língua não saiu; o nome daquele filme famoso não veio à mente; a música preferida, que marcou momentos importantes da nossa vida parece estar guardada – informações escondidas em nossas memórias.

“Xi, estava na ponta da língua” - Como diminuir a falta de memória - SUPERA - Ginástica para o Cérebro
Sabe a sensação de esquecer algo que estava na ponta da língua? A gerontóloga e colunista do Método SUPERA, Thais Bento, explica por quê isso acontece.

Sem contar o rosto familiar que nos sorri e cumprimenta, enquanto buscamos descobrir de onde o conhecemos;  ou aquele momento em que buscamos o verbo de uma palavra em inglês, por exemplo, que nos escapa justamente no meio de uma reunião importante ou de um bate-papo com alguém de fora do nosso país.

O pior de tudo é que, nesses momentos, uma espécie de vazio toma conta de nossa cabeça, surge uma autocobrança. Sim, muitas vezes fazemos todo o esforço que somos capazes, com a maior boa vontade deste mundo, mas cadê que nossas memórias nos ajudam? As lembranças parecem sumir por trás de um conjunto de novas informações aprendidas, e até mesmo as pistas mais visíveis para nos ajudar em alguns momentos não funcionam – aquelas informações que poderiam nos ajudar a lembrar daquilo que desejamos resgatar e recordar.

Na maioria das vezes, nos resta o riso sem graça ou nos resta informar diretamente que estávamos com a informação na ponta da língua, mas não saiu. Por que isso acontece? O que é o fenômeno da ponta da língua, tão comum em nosso cotidiano? Como podemos otimizar nosso desempenho e diminuir a frequência deste fenômeno?

Trata-se de um fenômeno comum, que acontece por vários motivos. O excesso de informações armazenadas no cérebro, episódios distratores quando estamos conversando com alguém e a falta de estratégias e pistas adequadas para recordarmos da informação armazenada. Além disso, no processo de envelhecimento, é comum que esta sensação de estar com a palavra na ponta da língua se intensifique.

Mas podemos deixar o acesso à informação mais rápido a partir de exercícios; quais são eles? São exercícios de linguagem, que nos deixam mais rápidos para a busca das informações memorizadas.  Vamos conhecer alguns?

  • O jogo do STOP, famoso entre as famílias, onde informamos tipos de frutas, animais, flores, alimentos e objetos que começam com determinadas letras.
  • O jogo da FORCA também é um exemplo.
  • Exercícios de nomeação de figuras, aonde se tem um conjunto de figuras aleatórias e se tem que dar nomes às figuras.
  • Atividades como: escreva uma história com estas palavras específicas, por exemplo: SUPERA, treino de memória, qualidade de vida e bem-estar
  • Ouvir músicas de vários artistas e tentar descobrir quem está cantando e qual é o nome da música.

Esses são alguns exemplos de como é possível melhorar o acesso semântico por meio de exercícios de ginástica cerebral, diminuindo a sensação do fenômeno da ponta da língua. Saiba mais conhecendo as atividades do Método SUPERA – Ginástica para o Cérebro. Até a próxima!

Que tal conhecer a Ginástica para o Cérebro de perto? Clique aqui e agende sua AULA GRÁTIS!

“Xi, estava na ponta da língua” - Como diminuir a falta de memória - SUPERA - Ginástica para o Cérebro
Thais Bento Lima-Silva, pesquisadora na área de envelhecimento, estimulação cognitiva e demências, Profa. Dra no curso de Gerontologia da Universidade de São Paulo e pesquisadora do Grupo de Neurologia Cognitiva e do Comportamento da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. É consultora do Método SUPERA e escreve na Coluna Cérebro Saudável.
Compartilhar este artigo
  • LinkedIn
  • Share

Gostou desse conteúdo? Deixe um comentário ;)

  • Nenhum comentário ainda

Nenhum comentário para "“Xi, estava na ponta da língua” – Como diminuir a falta de memória"

Faça um comentário

SUPERA PRESENCIAL

O Supera Ginástica para o Cérebro é voltado para todas as pessoas a partir de 5 anos, sem limite de idade. O curso potencializa a capacidade cognitiva aumentando a criatividade, concentração, foco, raciocínio lógico, segurança, autoestima, perseverança, disciplina e coordenação motora. As aulas, ministradas uma vez por semana com duração de duas horas, são dinâmicas e contagiantes, com atividades que agradam todo tipo de público.

SUPERA para escolas Método de estimulação cognitiva

Exclusivo para Instituições de Ensino. O SUPERA é a mais avançada ferramenta pedagógica de estimulação cognitiva e, portanto, representa um grande diferencial para sua instituição de ensino. Além de ser um excelente recurso de marketing, o método melhora o desempenho dos alunos e eleva os índices de aprovação da sua escola.

Franquia SUPERAEmpreenda em Educação

Criado em 2006, o SUPERA é hoje a maior rede de escola de ginástica para o cérebro do Brasil. Em um ano de operação, entrou para o sistema de franquias e hoje já possui 400 unidades no país. O curso, baseado em uma metodologia exclusiva e inovadora, alia neurociência e educação. Se você tem interesse em empreender nesta área, deixe seu cadastro em nosso site.