Como nosso cérebro reage ao chocolate?

Publicado em: 18/04/2019 por: Assessoria de Imprensa SUPERA

Quem nunca teve a sensação de bem-estar e alegria após ingerir uma bela barra de chocolate? Na época de Páscoa, o sentimento de euforia aumenta ainda mais, uma vez que essa comemoração remete a um maior consumo de chocolate com os famosos ovos de Páscoa e sem peso na consciência. Assim como a prática da ginástica cerebral auxilia nossa saúde mental, alguns alimentos são essenciais para garantir o bom funcionamento do nosso cérebro. Aliás, você sabe quais são as reações que acontecem no nosso cérebro com um simples bombom?

Como nosso cérebro reage ao chocolate? - SUPERA - Ginástica para o Cérebro
Consumir chocolate traz benefícios ao humor e às principais habilidades cognitivas, como a memória

Seja ele branco, amargo, em barra, como bombom ou em formato de ovo de Páscoa, é inegável a sensação de mudança de humor quando comemos um chocolate. O segredo está na grande presença de flavonoides, que estão presentes no cacau, principal matéria-prima do chocolate. Esses compostos orgânicos são responsáveis por garantir desenvolvimento das principais atividades cognitivas, segundo estudo italiano da Universidade de L’Aquila. Além de melhorar a memória recente, o processamento de informações e o desenvolvimento mental, os flavonoides ajudam a retardar o envelhecimento.

Supera e você na Disney

De acordo com pesquisadores do estudo, “os flavonoides do cacau trazem benefícios para a saúde do coração e podem aumentar a quantidade de sangue presente no giro denteado, uma área específica do hipocampo. Essa estrutura cerebral é particularmente afetada pelo envelhecimento, e uma potencial fonte para a perda de memória em humanos”.

Além do ganho nas funções cognitivas, os efeitos sobre o humor são incontestáveis. O chocolate influencia o humor devido à presença do aminoácido triptofano, responsável pela produção do neurotransmissor serotonina, conhecido por ser o “hormônio da felicidade”. A setoronina é responsável pelo humor, sono e apetite. Na falta dessa molécula podem se manifestar depressão e estados de ansiedade. A distribuição de triptofano tem o efeito de atenuar esses sintomas.

Outro fator que influencia os efeitos do chocolate no cérebro é a liberação do neurotransmissor dopamina. Quando recebemos um chocolate, nosso cérebro tem a sensação de recompensa – quem nunca ganhou um doce após fazer uma tarefa bem executada ou ganhou de presente? Esse sentimento positivo acontece devido à presença da dopamina durante o ato de saborear uma bela barra de chocolate.

Estes compostos são encontrados em maior quantidade nos chocolates amargos, versão 70%, devido à maior concentração de cacau; mas, a versão ao leite também ajuda nas funções cognitivas!

Para que esses benefícios sejam visíveis, o ideal é que haja um consumo diário do alimento. Mas sem exageros; uma barra inteira de chocolate contém grandes quantidades de gordura e açúcar, que podem desencadear problemas como diabetes e aumento de peso.

O ideal é entre um ou dois quadradinhos por dia; principalmente a versão 70% cacau, rica em flavonoides. O segredo está no equilíbrio. Quer desculpa melhor para se deliciar com esse doce? Podemos aproveitar a Páscoa e comer chocolate sem culpa!

Tatiana Olivetto – Assessoria de Imprensa Método SUPERA

Assessoria de Imprensa SUPERA

Supera - Ginástica Cerebral, Pratique! Curso para todas as idades

Mantenha-se atualizado. Assine nossa Newsletter



Posts Relacionados