Quais os melhores treinos cognitivos para pessoas idosas?

Publicado em: 29/01/2024 Por Assessoria de Imprensa SUPERA

Você sabia que existem diversas formas de treino cognitivo para pessoas idosas? Essas abordagens podem variar de indivíduo para indivíduo. Pesquisadores como Santos e Mendoza (2017) em análise de um conjunto de estudos com ênfase em pessoas idosas, apontam a eficácia de determinados treinos sobre a plasticidade cerebral no processo de envelhecimento.

treino cognitivo para pessoas idosas

Nesse sentido, conforme os autores citam, acredita-se que as intervenções
cognitivas melhoram ou pelo menos ajudam a preservar as funções cognitivas.
Em uma sociedade que reconhece a importância do envelhecimento ativo, a busca pelos melhores tipos de treino cognitivo para pessoas idosas surge como uma importante estratégia para a manutenção da qualidade de vida.

Nesse cenário, a diversidade de abordagens sinaliza não apenas uma resposta à singularidade de cada indivíduo, mas também chama a atenção para a complexidade e resiliência do envelhecimento humano.
Existem algumas modalidades de estímulo consideradas eficazes para a cognição de pessoas idosas, são elas: estimulação cognitiva, treino cognitivo e reabilitação cognitiva.

A primeira envolve a aplicação de tarefas repetitivas e padronizadas, a segunda permite o avanço e tem enfoque principalmente na potencialização dos efeitos da intervenção e por último, a reabilitação cognitiva é direcionada ao atendimento particular, onde as dificuldades individuais são trabalhadas.

treino cognitivo para pessoas idosas


Dado as mudanças inerentes ao processo de envelhecimento, as pessoas idosas são particularmente mais propensas a realizar algum tipo de intervenção cognitiva, pois algumas funções apresentam um declínio cognitivo natural na fase da velhice. Nesse sentido, atualmente é um desafio diferenciar com precisão o declínio natural com o patológico, pois essa linha muitas vezes é específica de pessoa para pessoa, o que se sabe é que mesmo em um contexto de mudanças do desempenho cognitivo o treino, poderá otimizar habilidades mentais, fortalecendo assim a reserva cognitiva, assim como compensando dificuldades
cognitivas mais comum entre pessoas idosas, sejam elas saudáveis ou com comprometimento cognitivo leve por exemplo.

Treinos cognitivos para pessoas idosas; saiba mais


No universo dos jogos de lógica, como palavras cruzadas e sudoku, encontramos não apenas desafios intelectuais, mas também uma forma de entretenimento. Essas atividades, muitas vezes encaradas como passatempos, são pontes para a plasticidade cerebral e a manutenção de habilidades cognitivas ao longo do tempo. Além dos jogos físicos citados acima, existem os programas com atividades computadorizadas que facilitam a sua realização. Pensando nisso, algumas atividades podem ser desempenhadas na residência dos participantes em que ocorre a intervenção. Nesse sentido, a integração tecnológica com os aplicativos e jogos específicos tornam-se veículos não apenas de desafios virtuais, mas também de conexões intergeracionais e adaptação a um ambiente em constante evolução.

treino cognitivo para pessoas idosas


O treino de memória, com suas múltiplas aplicações, convida à reflexão sobre a
essência da retenção e recuperação de informações. Ao desvendar desde sequências específicas até jogos de correspondência, questionamo-nos sobre como essas práticas podem não apenas fortalecer a memória, mas também preservar narrativas e experiências de vida.
Também, outras práticas como a exploração sensorial podem resgatar a importância da
experiência física e emocional na construção do conhecimento.


Ao personalizar e diversificar as atividades de treino cognitivo, é possível criar uma abordagem abrangente que atenda às necessidades individuais da população idosa. Além disso, as práticas cognitivas não apenas proporcionam benefícios para o cérebro, mas também podem contribuir para um envelhecimento saudável e ativo.

Assinam este artigo


Ana Paula Bagli Moreira – Mestranda pelo Programa de Pós-Graduação em Gerontologia da Universidade de São Paulo (USP). Bacharela em Gerontologia pela USP, com extensão pela Universidad Estatal Del Valle de Toluca, México. Assessora científica do projeto de pesquisa de validação do Método SUPERA. Laydiane Alves Costa – Gerontóloga pela Universidade de São Paulo (USP), Pós- graduanda em Neurociências pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) e membro do Grupo de Estudos em Treino Cognitivo (GETEC). Assessora científica do projeto de pesquisa de validação do Método SUPERA.

Profa. Dra. Thais Bento Lima da Silva. Gerontóloga formada pela Universidade de São Paulo (USP). Mestra e Doutora em Ciências com ênfase em Neurologia Cognitiva e do Comportamento, pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Docente do curso de Bacharelado e de Pós-Graduação em Gerontologia da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo (EACH-USP), pesquisadora do Grupo de Neurologia Cognitiva e do Comportamento da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e diretora científica da Associação Brasileira de Gerontologia (ABG). Membro da diretoria da Associação Brasileira de Alzheimer- Regional São Paulo. É parceira científica do
Método Supera. Coordenadora do Grupo de Estudos em Treino Cognitivo da Universidade de
São Paulo.

Compartilhar este artigo
  • LinkedIn
  • Share

Gostou desse conteúdo? Deixe um comentário ;)

  • Visualizar os 6 comentários

6 comentários para "Quais os melhores treinos cognitivos para pessoas idosas?"

Faça um comentário

  • Leni de Cássia Hayashida disse:

    Muito bom eesclarecedor

  • Adilson Conceição Nn disse:

    Ótima matéria com muito conteúdo para nossa idade,fiquei imaginando como existe ,pessoas com tanta energia para colocar nesse Ótima reportagem..

  • CESARE TUBERTINI disse:

    O texto é bom. Não há exageros nas explanações, e, sucinto nas colocações. Esclarecedor. Parabéns

  • José Cláudio Boechat moreno disse:

    Gostei muito da abordagem dos autores sobre a aprendizagem dos idosos.

  • MARIA APARECIDA DE MATTOS disse:

    Gostei muito, pois o tema é tratado com objetividade e é convincente.

  • ALEXANDRE ALVES ARNALDO disse:

    O artigo menciona que existem os programas com atividades computadorizadas, mas não mencionou “exemplos”, desta forma ficou muito subjetivo.

SUPERA PRESENCIAL

O Supera Ginástica para o Cérebro é voltado para todas as pessoas a partir de 5 anos, sem limite de idade. O curso potencializa a capacidade cognitiva aumentando a criatividade, concentração, foco, raciocínio lógico, segurança, autoestima, perseverança, disciplina e coordenação motora. As aulas, ministradas uma vez por semana com duração de duas horas, são dinâmicas e contagiantes, com atividades que agradam todo tipo de público.

SUPERA para escolas Método de estimulação cognitiva

Exclusivo para Instituições de Ensino. O SUPERA é a mais avançada ferramenta pedagógica de estimulação cognitiva e, portanto, representa um grande diferencial para sua instituição de ensino. Além de ser um excelente recurso de marketing, o método melhora o desempenho dos alunos e eleva os índices de aprovação da sua escola.

Franquia SUPERAEmpreenda em Educação

Criado em 2006, o SUPERA é hoje a maior rede de escola de ginástica para o cérebro do Brasil. Em um ano de operação, entrou para o sistema de franquias e hoje já possui 400 unidades no país. O curso, baseado em uma metodologia exclusiva e inovadora, alia neurociência e educação. Se você tem interesse em empreender nesta área, deixe seu cadastro em nosso site.