Prevenção ao suicídio de idosos – Setembro Amarelo

Publicado em: 15/09/2023 Por Assessoria de Imprensa SUPERA

Dados recentes do relatório do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), mais de 40% dos adultos norte-americanos relataram possuírem problemas de saúde mental ou uso de substâncias. Quase 11% consideraram seriamente o suicídio nos últimos 30 dias.

No Brasil, embora as taxas de mortalidade por suicídio na população geral tenham apresentado aumento expressivo nos últimos anos, os óbitos ainda foram predominantes entre os indivíduos pertencentes à faixa etária de 60 anos ou mais.

Palma e colaboradores (2020) desenovolveram um estudo em que foram analisados os padrões de suicídio na população geral brasileira no período de 1996 a 2015, e foi constatado um aumento de 35,0% nas taxas de mortes autoprovocadas entre idosos na região Nordeste.

Desse modo, a prevenção do suicídio entre idosos é um tema de extrema importância, especialmente no contexto do Setembro Amarelo, que é o mês dedicado à conscientização sobre a saúde mental e à prevenção do suicídio. Os idosos são um grupo de alto risco para o suicídio, e abordar essa questão de maneira eficaz requer uma abordagem holística.

suicídio de idosos

Fatores de risco para o suicídio em idosos

É fundamental compreender os fatores de risco que podem tornar os idosos mais vulneráveis ao suicídio. Diversos fatores referentes aos aspectos sociodemográficos podem contribuir para essa vulnerabilidade, tais como:

  • Sexo masculino;
  • Faixa etária acima de 75 anos;
  • Situação de extrema pobreza;
  • Residentes em áreas urbanas;
  • Aposentados;
  • Isolamento social;
  • Divorciados e viúvos;
  • Migrantes.

Também é importante destacar que os principais fatores de risco para o suicídio são história de tentativa de suicídio e transtorno mental. além dos fatores que envolvem as condições clínicas incapacitantes e os aspectos psicológicos, como por exemplo:

  • Doenças crônicas;
  • Perda de entes queridos;
  • Conflitos familiares;
  • Doenças psiquiátricas (depressão, ansiedade, esquizofrenia, transtorno de personalidade, entre outros transtornos mentais);
  • Sentimentos de desesperança;
  • Consumo de álcool e drogas.

Assim, é crucial que profissionais de saúde e familiares estejam atentos a esses fatores e ofereçam o apoio adequado.

Sinais de alerta do suicídio

Deve-se ficar atento aos sinais que indicam que determinada pessoa tem risco para o comportamento suicida:

  • Comportamento retraído, dificuldade de relacionamento pessoal;
  • Alcoolismo;
  • Mudança na personalidade, irritabilidade, pessimismo, depressão ou apatia;
  • Mudança no hábito alimentar e de sono;
  • Odiar-se, sentimento de culpa, de se sentir sem valor ou com vergonha.
suicídio de idosos

Medidas de prevençao ao suicídio

A promoção do bem-estar emocional e mental dos idosos deve ser uma prioridade. Isso pode ser alcançado por meio de programas de educação para a saúde mental que ensinem as pessoas idosas a reconhecerem os sinais de alerta e a procurarem ajuda quando necessário. Além disso, é importante oferecer espaços seguros para que eles expressem seus sentimentos e preocupações, como grupos de apoio ou terapia.

A capacitação de profissionais de saúde, incluindo médicos, enfermeiros e assistentes sociais, é crucial na identificação e no manejo de problemas de saúde mental em idosos. Isso inclui a detecção precoce de sintomas de depressão e ansiedade, bem como a implementação de estratégias de tratamento adequadas, como terapia cognitivo-comportamental ou medicação, quando indicado.

Os familiares amigos e colegas também podem adotar algumas medidas para prevenir o suicídio em idosos, como por exemplo:

  • Impedir o acesso aos meios para cometer suicídio (esconder armas, facas, cordas, deixar medicamentos em local que a pessoa não tenha acesso, de preferência trancados, e com alguém responsável em administrá-los);
  • Realizar vigilância 24 horas, não deixando a pessoa sozinha, sob nenhuma hipótese;
  • Sempre procurar atendimento nos serviços de saúde.

Promovendo a conscientização sobre a importância da prevenção do suicído

A conscientização da comunidade é um componente essencial na prevenção do suicídio entre pessoas idosas. Campanhas de sensibilização, como o Setembro Amarelo, desempenham um papel vital na redução do estigma associado à busca de ajuda para problemas de saúde mental. É importante educar a sociedade sobre a importância de oferecer apoio e compreensão aos idosos que estão enfrentando desafios emocionais.

Além disso, é fundamental garantir que existam recursos acessíveis de saúde mental para os idosos. Isso inclui a disponibilidade de serviços de saúde mental em hospitais, clínicas de saúde comunitárias e lares de idosos. A acessibilidade financeira e geográfica a esses serviços deve ser uma consideração importante.

Também destaca-se a importância dos provedores de saúde comportamental estaduais e comunitários para conectar as pessoas aos serviços especializados de que podem precisar para prevenir e tratar distúrbios de saúde mental e uso de substâncias, como a Administration for Community Living (ACL) que é responsável por promover a saúde mental positiva e prevenir o suicídio.

Prevenção ao suicídio de idosos: Onde buscar ajuda?

Se você ou alguém que conhece está precisando de ajuda, há diversas opções disponíveis:

  • Serviços de Saúde: CAPS, Unidades Básicas de Saúde e UPA;
  • Emergência: SAMU 192, Pronto Socorro e Hospitais;
  • Centro de Valorização da Vida – CVV: Telefone 188 (ligação gratuita) ou www.cvv.org.br para chat, Skype, e-mail e mais informações.

 Assinam este artigo:

Diana dos Santos Bacelar

Estudante de Graduação do curso de bacharelado em Gerontologia pela Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo. Atualmente faz estágio na área de pesquisa em treino cognitivo de longa duração pelo Instituto SUPERA – Ginástica para o Cérebro.

Tem interesse na área de treino e estimulação cognitiva para idosos, com enfoque em neurologia cognitiva. Já foi bolsista PUB da Universidade Aberta à Terceira Idade da EACH-USP, atual USP60 + nas oficinas de letramento digital.

Profa. Dra. Thais Bento Lima-Silva

Gerontóloga formada pela Universidade de São Paulo (USP). Docente do curso de Graduação em Gerontologia da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo (EACH-USP), Coordenadora do curso de pós-graduação em Gerontologia da Faculdade Paulista de Serviço Social (FAPSS), pesquisadora do Grupo de Neurologia Cognitiva e do Comportamento da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e diretora científica da Associação Brasileira de Gerontologia (ABG). Membro da diretoria da Associação Brasileira de Alzheimer- Regional São Paulo. É assessora científica e consultora do Método Supera.

Compartilhar este artigo
  • LinkedIn
  • Share

Gostou desse conteúdo? Deixe um comentário ;)

  • Nenhum comentário ainda

Nenhum comentário para "Prevenção ao suicídio de idosos – Setembro Amarelo"

Faça um comentário

SUPERA PRESENCIAL

O Supera Ginástica para o Cérebro é voltado para todas as pessoas a partir de 5 anos, sem limite de idade. O curso potencializa a capacidade cognitiva aumentando a criatividade, concentração, foco, raciocínio lógico, segurança, autoestima, perseverança, disciplina e coordenação motora. As aulas, ministradas uma vez por semana com duração de duas horas, são dinâmicas e contagiantes, com atividades que agradam todo tipo de público.

SUPERA para escolas Método de estimulação cognitiva

Exclusivo para Instituições de Ensino. O SUPERA é a mais avançada ferramenta pedagógica de estimulação cognitiva e, portanto, representa um grande diferencial para sua instituição de ensino. Além de ser um excelente recurso de marketing, o método melhora o desempenho dos alunos e eleva os índices de aprovação da sua escola.

Franquia SUPERAEmpreenda em Educação

Criado em 2006, o SUPERA é hoje a maior rede de escola de ginástica para o cérebro do Brasil. Em um ano de operação, entrou para o sistema de franquias e hoje já possui 400 unidades no país. O curso, baseado em uma metodologia exclusiva e inovadora, alia neurociência e educação. Se você tem interesse em empreender nesta área, deixe seu cadastro em nosso site.