Conheça os efeitos da dança no cérebro

Publicado em: 26/04/2019 por: Assessoria de Imprensa SUPERA

No dia 29 de abril, é comemorado o Dia Internacional da Dança. A prática; além de proporcionar momentos divertidos de lazer e ser considerada uma atividade física prazerosa para todas as idades, também produz diversas reações no cérebro e garante benefícios para o corpo e mente, principalmente na memória e no aprendizado. Mas como isso acontece?

Conheça os efeitos da dança no cérebro - SUPERA - Ginástica para o Cérebro
Dançar traz benefícios à memória, aprendizado e equilíbrio e produz diversas reações no cérebro. Vamos praticar?

Pesquisadores alemães demonstraram em um estudo publicado na Revista Frontiers in Human Neuroscience, os efeitos da prática regular da dança sobre a estrutura e a função do cérebro, bem como sobre a performance motora e cognitiva dos participantes. Segundo os cientistas, a prática da dança produz efeitos significativos no hipocampo, área do cérebro responsável pelas memórias e a mais afetada durante o processo natural do envelhecimento.

Supera e você na Disney

Segundo os estudiosos, os movimentos de dança são essenciais para o equilíbrio e visão espacial, uma vez que se assemelham a treinos de resistência e flexibilidade. Além disso, os passos devem ser dados conforme o ritmo; isso faz com que os dançarinos potencializem sua capacidade motora.

Os passos também devem ser lembrados conforme a coreografia; favorecendo a memória e as habilidades cognitivas como atenção e foco. Assim, a prática regular da dança parece ser promissora para melhorar a estrutura do cérebro; principalmente entre os 60+, garantindo a prevenção dos efeitos do envelhecimento no cérebro. Trabalhando a plasticidade do hipocampo, a prática da dança associa a flexibilidade física e as habilidades cognitivas ligadas ao aprendizado.

Exercitando o cérebro e o corpo

Além dos efeitos da dança, a prática da ginástica para o cérebro também é essencial para manter a saúde da mente e as habilidades cognitivas em dia, para alunos de todas as idades. E quando aliamos as duas coisas, os resultados podem ser surpreendentes, garantindo longevidade e qualidade de vida.

A aluna Luciana Silva Pereira tem 58 anos e mantêm sua mente ativa com atividades prazerosas e que lhe garantem bem-estar. Luciana frequenta as aulas de ginástica para o cérebro da unidade SUPERA Esplanada, em São José dos Campos (SP). Além disso, Luciana também tem uma outra grande paixão: o sapateado!

Conheça os efeitos da dança no cérebro - SUPERA - Ginástica para o Cérebro
A aluna SUPERA Luciana Silva, 58 anos, pratica ginástica para o cérebro e aulas de sapateado

“Dança é minha realização, sou inteira quando danço. É uma felicidade que preenche, mantendo meu corpo e minha mente literalmente saudáveis”, diz Luciana. A aluna dança desde os seus 14 anos e conheceu as aulas de ginástica cerebral em 2011. De lá para cá, Luciana conquistou ainda mais autoestima e sentiu na prática os efeitos dos exercícios para o cérebro durante as aulas de dança.

Assim como as práticas do SUPERA, a dança promove desafios com novidade e variedades crescentes, fortalecendo as conexões neurais e proporcionando um desenvolvimehttps://metodosupera.com.br/os-3-principios-metodo-supera/nto do funcionamento das ativações neurais.

“Na dança você conta, coordena, tem que estar atento ao tempo da música, sincronia de movimentos. Em grupo tem que haver sincronicidade e harmonia. Exercitando o seu cérebro você o deixa mais ‘jovem’, atento, desperto, para que se possa conciliar o físico com o mental. Faço SUPERA com prazer e a dança tem a energia que me move”, comenta a dançarina.

Tatiana Olivetto – Assessoria de Imprensa Método SUPERA

Assessoria de Imprensa SUPERA

Supera - Ginástica Cerebral, Pratique! Curso para todas as idades

Mantenha-se atualizado. Assine nossa Newsletter



Posts Relacionados