A doença de Alzheimer é uma laranja?

Publicado em: 04/05/2022 Por Assessoria de Imprensa SUPERA

O que você sabe sobre a Doença de Alzheimer (DA)?

Cientificamente essa patologia é definida como uma doença progressiva degenerativa, que provoca morte neuronal e consequentemente, declínio nas habilidades cognitivas como memória, atenção, linguagem e funções executivas.

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde, estima-se que atualmente essa doença atinge mais de 35 milhões de famílias em todo o mundo. Observe que destacamos famílias atingidas e não indivíduos.

 A doença de Alzheimer é uma laranja

As alterações provocadas pela DA acometem a estrutura cerebral e a funcionalidade no desempenho de atividades do cotidiano, ao mesmo tempo que modificam a estrutura e a funcionalidade social, com destaque para o núcleo familiar.

A pergunta feita inicialmente pode ser respondida com um olhar além do científico. Para alguém que convive com uma pessoa diagnosticada com DA a interpretação da doença pode ser ainda mais complementar, uma vez que o convívio permite acompanhar todas as mudanças e desafios existentes.

 A doença de Alzheimer é uma laranja

No saber popular, muitas vezes, a DA é vista como parte natural do processo de envelhecimento ou consequência do aumento da expectativa de vida, além disso, não se conhece os desdobramentos psicológicos e sociais da doença, tanto para a pessoa diagnosticada quanto para as pessoas que a cerca. Pensando nessa ausência de conhecimento sobre esse tipo de demência e nos preconceitos e estereótipos relacionados, a Instituição Alzheimer’s Research UK, do Reino Unido, lançou a campanha “Uma laranja e a doença de Alzheimer?”

 A doença de Alzheimer é uma laranja

A doença de Alzheimer sob a perspectiva de uma laranja

A campanha apresenta através de vídeo, uma associação entre uma laranja sendo dissecada com a deterioração do cérebro devido à DA. Para os idealizadores da campanha, da mesma forma que uma laranja perde a sua casca, a camada interna e cada um dos seus segmentos, o cérebro perde os neurônios, podendo atingir o peso aproximado de uma laranja (14 g).

Por fim, assim como a laranja desaparece quando todos os seus gomos são consumidos, o indivíduo deixa de existir, seja por perder muitas das características que representavam quem ele era, seja por chegar a óbito, quando uma parte significativa dos neurônios são mortos.

 A doença de Alzheimer é uma laranja?

Apesar de ainda ser uma doença incurável, é possível realizar ações que proporcionem melhor qualidade de vida para a pessoa diagnosticada, assim como para familiares e cuidadores; também é possível traçar estratégias capazes de reduzir a velocidade de deterioração das células nervosas, por exemplo através de exercícios de estimulação cognitiva.

A importância sobre a conscientização para a Doença de Alzheimer

É importante destacar, entretanto, que sem conscientização sobre a doença, nada disso é possível, por isso, assim como a proposta da campanha citada anteriormente, compartilhamos aqui, uma laranja, ou seja, uma pequena explicação sobre a DA.

Convidamos você a assistir o vídeo da campanha e compartilhar esse texto para que mais pessoas tenham acesso a informações pertinentes e seguras sobre a Doença de Alzheimer.

 A doença de Alzheimer é uma laranja

Assinam este artigo

Gabriela dos Santos,

Mestranda pelo Programa de Pós-Graduação em Gerontologia pela Universidade de São Paulo (USP), Graduada em Gerontologia pela USP, com Extensão pela Universidad Estatal Del Valle de Toluca. Assessora científica.

Profa. Dra. Thais Bento Lima-Silva,

Docente do curso de Graduação em Gerontologia da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo (EACH-USP), Coordenadora do curso de pós-graduação em Gerontologia da Faculdade Paulista de Serviço Social (FAPSS), pesquisadora do Grupo de Neurologia Cognitiva e do Comportamento da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e diretora científica da Associação Brasileira de Gerontologia (ABG). Membro da diretoria da Associação Brasileira de Alzheimer- Regional São Paulo. E assessora científica e consultora do Método SUPERA.

Compartilhar este artigo

Gostou desse conteúdo? Deixe um comentário ;)

  • Visualizar o comentário

1 comentário para "A doença de Alzheimer é uma laranja?"

Faça um comentário

  • Márcia disse:

    Estou com sinais de alzheimer? o vídeo esta sem legendas , e é em inglês ,como não falo a língua não vi sentido em assistir. Pra mim só o texto já fez toda a diferença.

SUPERA PRESENCIAL

O Supera Ginástica para o Cérebro é voltado para todas as pessoas a partir de 5 anos, sem limite de idade. O curso potencializa a capacidade cognitiva aumentando a criatividade, concentração, foco, raciocínio lógico, segurança, autoestima, perseverança, disciplina e coordenação motora. As aulas, ministradas uma vez por semana com duração de duas horas, são dinâmicas e contagiantes, com atividades que agradam todo tipo de público.

SUPERA para escolas Método de estimulação cognitiva

Exclusivo para Instituições de Ensino. O SUPERA é a mais avançada ferramenta pedagógica de estimulação cognitiva e, portanto, representa um grande diferencial para sua instituição de ensino. Além de ser um excelente recurso de marketing, o método melhora o desempenho dos alunos e eleva os índices de aprovação da sua escola.

Franquia SUPERAEmpreenda em Educação

Criado em 2006, o SUPERA é hoje a maior rede de escola de ginástica para o cérebro do Brasil. Em um ano de operação, entrou para o sistema de franquias e hoje já possui 400 unidades no país. O curso, baseado em uma metodologia exclusiva e inovadora, alia neurociência e educação. Se você tem interesse em empreender nesta área, deixe seu cadastro em nosso site.