Neurociência: o que ela pode fazer por você?

Publicado em: 09/04/2017 por: Barbara

Testeira - MS

Neurocientista e consultora do SUPERA, Carla Tieppo

Neurocientista e consultora do SUPERA, Carla Tieppo

Se você não é da área médica, você deve ter dito: nada! Em que lhe ajudaria saber sobre a ciência do sistema nervoso, não é? Por que conhecimentos sobre o funcionamento do cérebro poderiam ser importantes para você? Então vamos lá.

Seu sistema nervoso e, em especial, seu cérebro, são responsáveis pela forma como você interpreta todas as coisas que estão ao seu redor e por todos os pensamentos e comportamentos que tem. Se você se convencer disso, poderá entender que o conhecimento sobre o cérebro pode ser uma porta de entrada para um dos bens mais preciosos da vida humana: o autoconhecimento.
Ouvimos falar da importância do autoconhecimento para muitas coisas diferentes. Fala-se da importância dele para o sucesso na vida pessoal e para a vida profissional.
Esse conhecimento envolve saber como nos sentimos e reagimos a diversos tipos de situação, para que possamos evitar comportamentos desastrosos como “falar o que não devia” ou “agir de forma impulsiva”.
Você consegue reconhecer em que situações é mais comum você “perder a linha”? A maioria das pessoas experimenta prejuízos nos relacionamentos por causa dessas coisas.
Às vezes, você está com toda razão em uma discussão e, se você fosse capaz de explicar com calma o seu ponto de vista, poderia até mesmo evitar uma briga. Mas se você se irrita e grita, por exemplo, é bem possível que as pessoas acabem dando razão e apoiando o lado da discussão que não se exaltou. Isso sem contar que, geralmente, quem está certo e se sente injustiçado tem maior chance de alterar a voz e perder a razão.
Respire fundo
Como a neurociência pode lhe ajudar nisso? O estudo do funcionamento cerebral nos mostra que nosso sistema emocional precisa ser melhor conhecido para que as reações sejam nossas aliadas no dia-a-dia.
Um exemplo disso é conhecer como a respiração pode lhe ajudar num momento difícil. Quando estamos nervosos ou contrariados, uma parte do nosso sistema nervoso inicia uma reação no corpo que aumenta a quantidade de batimentos cardíacos e aumenta a pressão com que o sangue corre nos vasos sanguíneos.
Essas e outras reações são responsáveis pelas sensações que chamamos de raiva. Se, nesse momento, mudarmos nosso ritmo respiratório de ofegante para calmo e profundo, estaremos enviando uma mensagem para o nosso cérebro de que a situação está sob controle. Assim, uma boa solução para controlar as reações impulsivas que sentimos quando estamos com raiva é prestar atenção em nossa respiração e aprofundá-la. Mas você pode perguntar: como lembrar de fazer isso na hora H?
Todo conhecimento que adquirimos precisa ser fortalecido por treino e prática, não é? Mas é justamente o conhecimento teórico que pode nos ajudar a direcionar essas práticas. Ao saber como seu cérebro funciona, você terá mais e mais recursos para controlar seus impulsos e administrar seu comportamento sempre que for preciso. Conheça seu cérebro!

Supera - Ginástica Cerebral, Pratique! Curso para todas as idades

Mantenha-se atualizado.
Assine nossa Newsletter

Posts Relacionados