Coronavírus: como fortalecer o sistema imunológico no processo de envelhecimento

Publicado em: 18/03/2020 por: Assessoria de Imprensa SUPERA

Vocês sabiam que nós temos dois tipos de sistema imunológico, que também é chamado de sistema imune?

Coronavírus: como fortalecer o sistema imunológico no processo de envelhecimento - SUPERA - Ginástica para o Cérebro
As pesquisadoras da USP, Thaís Bento e Eva Bettine, dão algumas dicas para fortalecer o sistema imunológico e se proteger de doenças, como o Covid-19.

Primeiro, vamos falar um pouco sobre o nosso sistema imune: é um conjunto de órgãos, tecidos e células que fazem a defesa do organismo contra os agentes causadores de doenças. Exemplo: ele combate vírus, bactérias e agentes infecciosos, e previne o desenvolvimento de várias doenças. Dessa forma, o bom funcionamento do nosso sistema imune passa a ser fundamental para a nossa sobrevivência, principalmente no momento atual.

Mas como ele funciona?

Quando um agente estranho invade o organismo, o sistema imunológico é ativado como um exército de defesa para combatê-lo, gerando uma série de reações. Por exemplo; quando você se machuca, a área se aquece e fica avermelhada. A própria inflamação local é uma defesa do organismo a nosso favor. O nosso sistema imune responde, na tentativa de matar os micro-organismos do local. Assim como esse mecanismo, diversos outros são ativados, dependendo do tipo de invasor ao qual o organismo for exposto.

O nosso organismo tem duas possibilidades de resposta a um agente agressor:

Desde que nascemos, nós viemos com a capacidade de nos defendermos de agentes agressores e isto em grande parte se deve ao período pré-natal, ou seja, refere-se à alimentação que nossa mãe ingeriu,  se ela recebeu os cuidados necessários e,  principalmente, se nós fomos amamentados na fase logo após o nascimento. Se todos os cuidados foram tomados, nós nascemos com o sistema imunefortalecido (ou seja, adquirido antes ou logo após nascermos). A este sistema chamamos de imunidade inata. Um exemplo de imunidade inata são as consideradas barreiras imunológicas como os pelos, a própria pele, a mucosa nasal – são agentes que impedem a entrada dos oportunistas. Como exemplo de barreira fisiológica, temos o ácido do estômago e a temperatura corporal.

Mas quando a imunidade inata não consegue combater o agente agressor, a outra imunidade entra em ação para evitar o desenvolvimento de enfermidades.

A imunidade adaptativa é a que adquirimos ao longo da vida. São os famosos anticorpos, que são células de defesa que o organismo desenvolve após entrar em contato primário com as doenças e sobreviver a elas.

E quais são os agentes que impedem o nosso sistema imune de funcionar bem?

  • Stress

Uma atividade estressante aumenta a produção de cortisol. Apesar de ser bom para o nosso organismo, em excesso, ele baixa a defesa do nosso organismo.

  • Má alimentação

Quando nos alimentamos sem consumir alimentos variados e faltando nutrientes e vitaminas essenciais para a nossa defesa, como a vitamina C ou deixando de incluir frutas, estamos debilitando nossa imunidade.

  • Distúrbios de sono

Quando não dormimos a quantidade de horas e nem com a qualidade de sono que necessitamos, impedimos que alguns hormônios que se expressam durante o sono tenham sua ação. Se o sono for fragmentado, somos impedidos de entrar na fase mais profunda, onde vários processos fisiológicos acontecem.

Dicas para aumentar sua imunidade

– Alimentar-se bem (variedade e qualidade, não quantidade!);

– Consumir cebola e alho, brócolis, nozes, sardinha, uva roxa;

– Praticar atividade física regular (ajuda na nossa capacidade cardiovascular);

– Lembrar-se da vacinação nas épocas corretas, atente-se ao calendário vacinal na unidade básica de saúde mais próxima de sua casa;

– Procurar dormir as horas que seu organismo precisa;

– Evitar situações estressantes, sempre que possível;

– Expor-se sempre que possível à luz solar;

– Caso sinta febre, resfriado, mal estar e falta de energia, entre em contato com um médico antes de ir a um serviço de emergência, para ter as orientações precisas.

No momento, é recomendável que indivíduos com mais de 60 anos evitem locais públicos, incluindo cursos, reuniões sociais, idas às igrejas, mercados e permaneçam o maior tempo possível de sua rotina em suas casas. Também é recomendável que indivíduos com fatores de risco, como aqueles com idade inferior a 60 anos, mas que apresentam doenças crônicas vasculares, como diabetes, hipertensão, doenças cardíacas ou quadros de doenças respiratórias, como bronquite, asma, pneumonia – tenham cuidados redobrados em relação à sua saúde.

É um momento importante de aplicarmos medidas preventivas em nossa rotina, seguindo as recomendações das autoridades e técnicos nas áreas de infectologia, pneumologia e epidemiologia.

Com essas medidas, podemos colaborar para fortalecer o nosso sistema imunológico e estarmos preparados para situações como a que estamos vivendo atualmente, com a proliferação do coronavírus, que causa a doença COVID-19.

Texto elaborado pelas Professoras Eva Bettine e Thais Bento, gerontólogas e pesquisadoras na área do envelhecimento na Universidade de São Paulo-USP e pela Profa. Dra. Rubia Pereira de Carvalho Mendes, neurocientista, bióloga especialista em ritmos biológicos com ênfase nos ciclos hormonais da USP.

Compartilhar este artigo
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Share

SUPERA News

Mantenha-se atualizado. Assine nossa Newsletter

captcha



Posts Relacionados