Como a estimulação cognitiva pode auxiliar pessoas com TDAH

Publicado em: 04/07/2024 Por Supera
Como a estimulação cognitiva pode auxiliar pessoas com TDAH - SUPERA - Ginástica para o Cérebro

A estimulação cognitiva pode desempenhar um papel significativo no auxílio a pessoas com Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH). Estudos científicos, como dos pesquisadores Elbe e colaboradores (2023), demonstram que atividades que estimulam funções executivas, como atenção, memória de trabalho e controle inibitório, podem beneficiar indivíduos com esse transtorno. Por exemplo, jogos de mesa, exercícios de memória e estratégias de planejamento podem melhorar a capacidade de concentração e organização das tarefas diárias para pessoas com TDAH.

Além disso, a estimulação cognitiva contribui para o desenvolvimento de habilidades sociais e emocionais, essenciais para lidar com os desafios associados ao TDAH. A prática regular de atividades que promovem a resolução de problemas e a autorregulação pode ajudar a reduzir impulsividade e comportamentos disruptivos. Isso é especialmente relevante em contextos acadêmicos e profissionais, onde indivíduos com TDAH podem enfrentar dificuldades adicionais.

Estudos recentes sugerem que a plasticidade cerebral, ou seja, a capacidade do cérebro de se adaptar e aprender ao longo da vida, pode ser potencializada por meio da estimulação cognitiva. Isso significa que, independentemente da idade, indivíduos com TDAH podem se beneficiar de intervenções que visam fortalecer áreas específicas do cérebro envolvidas no controle atencional e na regulação do comportamento. Os pesquisadores Dentz e colaboradores (2020), por exemplo, identificaram que pessoas de 18 a 63 anos, podem ser beneficiadas com treino cognitivo computadorizado nas habilidades verbais e visuoespaciais.

Cabe destacar que a diversidade de métodos disponíveis para a estimulação cognitiva permite que pessoas com TDAH encontrem estratégias que melhor se adequem às suas necessidades individuais. Desde jogos digitais até programas estruturados em clínicas especializadas, há uma variedade de recursos acessíveis que podem ser adaptados para diferentes faixas etárias e níveis de habilidade.

A estimulação cognitiva oferece um caminho promissor para melhorar a qualidade de vida de pessoas com TDAH, fortalecendo habilidades essenciais e facilitando a adaptação às demandas cotidianas. Integrar essas práticas como parte do tratamento do TDAH pode proporcionar benefícios significativos a longo prazo, promovendo o desenvolvimento pessoal e profissional desses indivíduos.

Apesar das evidências encontradas, ainda são necessárias maiores investigações sobre os impactos da estimulação cognitiva para pessoas de diferentes faixas etárias diagnosticadas com TDAH. É importante considerar também a relevância de identificar métodos de aplicação de estímulos e mensuração dos resultados para que sejam adotados padrões de execução e avaliação.

Referências:

DENTZ, A. et al. Working memory training for adults with ADHD. Journal of attention disorders, v. 24, n. 6, p. 918-927, 2020.

ELBE, P. et al. Computerized cognitive interventions for adults with ADHD: A systematic review and meta-analysis. Neuropsychology, v. 37, n. 5, p. 519, 2023.

TOURINHO, A.; BONFIM, C.; ALVES, L. Games, TDAH e funções executivas: Uma Revisão da Literatura. Simpósio Brasileiro de Jogos e Entretenimento Digital (SBGames), p. 873-879, 2016.

Assinam este artigo:

Profª Msc. Gabriela dos Santos – Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Gerontologia pela Universidade de São Paulo (USP), Graduada em Gerontologia pela USP, com Extensão pela Universidad Estatal Del Valle de Toluca. Membro do Grupo de Estudos em Treino Cognitivo da Universidade de São Paulo.

Profa. Dra. Thais Bento Lima da Silva – Gerontóloga formada pela Universidade de São Paulo (USP). Mestra e Doutora em Ciências com ênfase em Neurologia Cognitiva e do Comportamento, pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Docente do curso de Bacharelado e de Pós-Graduação em Gerontologia da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo (EACH-USP), pesquisadora do Grupo de Neurologia Cognitiva e do Comportamento da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e diretora científica da Associação Brasileira de Gerontologia (ABG). Membro da diretoria da Associação Brasileira de Alzheimer- Regional São Paulo. É parceira científica do Método Supera. Coordenadora do Grupo de Estudos em Treino Cognitivo da Universidade de São Paulo.

Compartilhar este artigo
  • X
  • LinkedIn
  • Share

Gostou desse conteúdo? Deixe um comentário ;)

  • Nenhum comentário ainda

Nenhum comentário para "Como a estimulação cognitiva pode auxiliar pessoas com TDAH"

Faça um comentário

SUPERA PRESENCIAL

O Supera Ginástica para o Cérebro é voltado para todas as pessoas a partir de 5 anos, sem limite de idade. O curso potencializa a capacidade cognitiva aumentando a criatividade, concentração, foco, raciocínio lógico, segurança, autoestima, perseverança, disciplina e coordenação motora. As aulas, ministradas uma vez por semana com duração de duas horas, são dinâmicas e contagiantes, com atividades que agradam todo tipo de público.

SUPERA para escolas Método de estimulação cognitiva

Exclusivo para Instituições de Ensino. O SUPERA é a mais avançada ferramenta pedagógica de estimulação cognitiva e, portanto, representa um grande diferencial para sua instituição de ensino. Além de ser um excelente recurso de marketing, o método melhora o desempenho dos alunos e eleva os índices de aprovação da sua escola.

Franquia SUPERAEmpreenda em Educação

Criado em 2006, o SUPERA é hoje a maior rede de escola de ginástica para o cérebro do Brasil. Em um ano de operação, entrou para o sistema de franquias e hoje já possui 400 unidades no país. O curso, baseado em uma metodologia exclusiva e inovadora, alia neurociência e educação. Se você tem interesse em empreender nesta área, deixe seu cadastro em nosso site.