O que é qualidade de vida

Publicado em: 29/12/2016 por: Barbara

qualidade de vida

Thais Bento Lima da Silva, Gerontóloga pela Universidade de São Paulo, Mestre e Doutoranda em Neurologia Cognitiva e Envelhecimento.

Qualidade de vida e sua relação com bom desempenho de memória

Qualidade de vida – O grupo de Qualidade de Vida da Organização Mundial da Saúde, sob a coordenação do Professor John Orley, definiu qualidade de vida como “a percepção do indivíduo de sua posição na vida no contexto da cultura e sistema de valores nos quais ele vive e em relação aos seus objetivos, expectativas, padrões e preocupações”.

Nesta definição, observa-se que o conceito de qualidade de vida é subjetivo, ou seja, dependia do olhar e da avaliação de cada um, sendo um fator multidimensional que inclui elementos de avaliação tanto positivas como negativas sob os aspectos da vida.

O tema qualidade de vida é abrangente e envolve múltiplos fatores. Dentre eles, o bem estar físico, emocional, psicológico, social, econômico, satisfação com a própria vida e ainda boas condições de saúde, educação, moradia, transporte, lazer, trabalho e crescimento individual.

Aqui, discutirei a importância do bem-estar psicológico como ferramenta de promoção de qualidade de vida.

O Bem-Estar Psicológico (BEP) pode ser um importante recurso para a percepção e promoção de qualidade de vida do indivíduo. O BEP está associado a:

  1. Resiliência e enfrentamento de dificuldades do indivíduo em relação à vida.
  2. Interação entre as oportunidades e as condições de vida.
  3. Envolve apreciações sobre o cumprimento das tarefas evolutivas e das expectativas sociais, em relação à idade e gênero.
  4. Representa a capacidade do individuo de possuir uma visão positiva sobre si e sua vida, senso de independência e de autonomia, qualidade nos seus relacionamentos, senso de projetos e de significado da vida, além de ter um desenvolvimento continuado ao longo dos anos.
  5. Transmissão de conhecimentos também é um dos aspectos mais importante do BEP, que se refere ao envolvimento com desafios associados à continuidade da espécie e deixar legados para o mundo.

Em um estudo inovador, Irigaray e colegas no ano de 2011, ofereceram um programa de treino de memória recente, de raciocínio e de atenção para idosos, com duração de oito encontros. Neste estudo, relataram melhoras significativas em qualidade de vida nos fatores de Crescimento Pessoal, Ambiente, Autoaceitação. Estudos realizados por Stuss e Winocur em 2007, demonstram que o treino cognitivo poderia melhorar o bem-estar psicológico em idosos, afirmando que as intervenções cognitivas podem favorecer a qualidade de vida na idade madura.

Qualidade de vida está relacionada à resiliência e enfrentamento de dificuldades do indivíduo em relação à vida

Qualidade de vida está relacionada à resiliência e enfrentamento de dificuldades do indivíduo em relação à vida

Qualidade de vida – como podemos promovê-la através do treinamento cognitivo

Estes estudos sugerem que há uma associação entre a preservação da cognição e o conjunto de percepções que o indivíduo tem sobre si mesmo e o seu meio. Uma vez que ao apresentar melhor desempenho cognitivo decorrente do treinamento o idoso passava a ter melhor execução de atividades de vida diária, melhor humor, e uma percepção mais satisfatória da vida.

Deste modo, sugerimos que tenha como hábito a realização de atividades intelectuais, que conhecemos como exercícios de ginástica cerebral, uma vez que estamos melhorando nosso desempenho de memória, e mais do que isso, otimizando outras habilidades que interferem no nosso bem-estar psicológico, como o modo como enxergamos e lidamos com a vida, e a qualidade dela. Permanecendo assim mais independentes e autônomos durante o curso de vida.

Supera - Ginástica Cerebral, Pratique! Curso para todas as idades

Mantenha-se atualizado.
Assine nossa Newsletter

Posts Relacionados