O cérebro e a leitura

Publicado em: 07/07/2016 por: Barbara

Saúde Mental

Neurocientista e consultora do SUPERA, Carla Tieppo

O cérebro humano é muito potente para aprender. Ele foi moldado durante todo o processo evolutivo para ser sensível aos estímulos que recebe. E, assim, muitas atividades que fazemos rotineiramente podem ser bastante estimulantes para o desenvolvimento das capacidades cerebrais. Mas alguns estímulos têm características únicas e especiais para estimular o cérebro e cada vez mais os cientistas estão se aprofundando no estudo desses estímulos mágicos.

Um desses estímulos que é profundamente estudado é a leitura. Esta é uma ferramenta poderosa para o desenvolvimento das funções cognitivas, como a concentração, a atenção e a memória operacional.

Para conseguirmos nos ater e compreender o significado de um texto, precisamos dedicar atenção plena à leitura. Você bem sabe que, quando a leitura deixa sua mente divagar, é preciso voltar ao texto e reler algumas linhas ou até mesmo alguns parágrafos que você “leu” mas não foi capaz de pegar o significado ou a ideia.

Ao se fixar na leitura, você está treinando a concentração. É possível estimular a leitura desde pequenos. Começamos com textos simples, com histórias dinâmicas e de fácil compreensão.  Mas é importante aumentar a complexidade dos textos gradativamente para fornecer mais estímulos às funções cerebrais.

Sendo assim, não adianta passar a vida toda lendo historinhas em quadrinhos. É importante arriscar um romance maior e depois um livro interessante sobre filosofia para leigos, por exemplo.

Outra atividade muito interessante para o desenvolvimento cerebral é a música, pois surgem muitos elementos de alta complexidade. Cada um dos instrumentos musicais participam da construção da harmonia de uma forma muito especial. E a percepção do ritmo e da condução musical também são muito eficientes para estimular o cérebro a reconhecer padrões específicos de divisão dos tempos musicais e das frequências da melodia. E fazemos todo esse reconhecimento sem precisar de grande esforço.

A emoção causada pela música faz com que ela seja um poderoso estímulo de aprendizagem. Tudo que nos emociona provoca aprendizagens mais significativas. Mas você pode ir além disso ouvindo música.

Pode prestar atenção nesses elementos que citei: as notas musicais, o timbre, os diferentes instrumentos e os tempos em que as notas são tocadas. Essa forma de ouvir música melhora muito sua capacidade de perceber os sons e pode ser crucial para o aprendizado de uma segunda língua, por exemplo.

A motricidade fina e o uso preciso de ferramentas também é um desses estímulos poderosos. Ao afinarmos nosso cérebro para produzir movimentos de altíssima precisão estamos produzindo estímulos muito interessantes para nossa capacidade de controlar impulsos e monitorar o comportamento.  Tudo no cérebro é assim, intrincado.

Você trabalha numa tarefa de matemática e acaba por desenvolver uma habilidade maior no ritmo musical. Ouve música e fica melhor em matemática. Lê mais e consegue se concentrar melhor nos relatórios que precisa fazer. Isso é simplesmente incrível, não é?

Supera - Ginástica Cerebral, Pratique! Curso para todas as idades

Mantenha-se atualizado.
Assine nossa Newsletter

Posts Relacionados