TDAH: Como identificar se seu filho possui este transtorno

Publicado em: 02/07/2019 por: Assessoria de Imprensa SUPERA

Seu filho foi diagnosticado com TDAH e você precisa saber tudo sobre esse transtorno? Elaboramos um guia prático com todos os detalhes para você. Confira!

O TDAH

TDAH é uma sigla que define o Transtorno de Déficit de Atenção. Trata-se de um transtorno neurobiológico, genético e hereditário, mais comum em jovens e crianças.

O TDAH pode ser herdado dos pais ou de um parente próximo, mas também pode ser desencadeado por diversos fatores de risco, como a mãe fumar durante a gravidez, o bebê nascer prematuro ou com baixo peso.

Fatores Genéticos

Estudos mostram que o TDAH desencadeado por fatores genéticos ocorre quando mais de um gene está envolvido, é o que se chama de distúrbio poligênico. Isso afeta neurônios do sistema nervoso central.

Desta forma, crianças que possuem pais ou parentes próximos com TDAH podem ter maior propensão a desenvolver o transtorno.

Fatores Ambientais

Outros estudos, porém, afirmam que qualquer transtorno do comportamento pode ser desenvolvido por meio de fatores ambientais, como “copiar” pais que agem de forma desatenta ou hiperativa.

Outras teorias sugerem que problemas familiares podem ser causas para o TDAH, contudo, estudos recentes refutam essa possibilidade, atrelando o transtorno a causas genéticas.

Tipos de TDAH

Existem dois tipos de TDAH. O mais simples é o TDAH desatento, em que a criança demonstra apenas falta de atenção.

Também existe o TDAH combinado, em que a criança apresenta hiperatividade, impulsividade e déficit de atenção ao mesmo tempo.

Sintomas do TDAH Desatento

TDAH: Como identificar se seu filho possui este transtorno - SUPERA - Ginástica para o Cérebro

No primeiro caso, a criança com TDAH desatento tem dificuldade em se concentrar nas atividades do dia a dia, tem dificuldade para seguir instruções e se perde em conversas cotidianas.

Outro sintoma para esse tipo de TDAH é o esquecimento de coisas que normalmente não deveriam ser esquecidas. Isso ocorre tanto para objetos que são perdidos quanto para informações básicas que a criança ou jovem deveria saber, mas não consegue lembrar.

Supera e você na Disney

Muitas vezes, a memória é afetada pelo fato de o paciente não ter a capacidade de concentração suficiente para assimilar a informação que está sendo transmitida. Dessa forma, a pessoa não consegue perceber detalhes o suficiente para memorizar.

Quem apresenta TDAH do tipo desatento não consegue finalizar uma leitura, prestar atenção em palestras ou mesmo em longas conversas sobre um determinado assunto.

Em muitos casos, a pessoa com TDAH desatento é chamada e não responde ao ouvir o próprio nome, presta atenção em outras coisas quando está desenvolvendo uma tarefa e tem dificuldade para concluir atividades.

Sentir sonolência ou uma sensação de que está com o cérebro desligado no meio de um afazer também é um sintoma comum desse tipo de TDAH.

Outra característica de quem possui TDAH desatento é forte desorganização, problemas com planejamento de uma sequência de atividades e administração do tempo.

Sintomas do TDAH Combinado

O TDAH combinado pode apresentar outros sintomas junto aos já citados, como agitação, impulsividade e inquietação. Como as características são mais marcantes, esse tipo de transtorno é mais percebido na infância e é o mais diagnosticado.

É comum que quem apresenta sintomas de TDAH combinado fique mexendo os pés e as mãos quando tenha que ficar parado em algum lugar. Também fica com a mente agitada e, muitas vezes, confusa.

Para quem possui TDAH combinado, outra característica comum é estar sempre fazendo mais de uma coisa ao mesmo tempo. Uma única atividade sendo realizada ou um momento de descanso já é motivo para o sentimento de tédio aparecer.

Ao contrário do TDAH desatento, a pessoa com TDAH combinado consegue ler um livro, ver televisão e ouvir música ao mesmo tempo. Contudo, perde facilmente a concentração ao fazer várias tarefas ao mesmo tempo.

Estar em uma conversa é mais comum para quem tem TDAH combinado, mas ao falar, a pessoa sente a necessidade de expor muitos detalhes ao mesmo tempo, acaba se perdendo na própria fala e não conseguindo concluir o raciocínio. Isso porque geralmente a pessoa pensa mais rápido do que consegue falar.

Impaciência e dificuldade em se expressar também são características do TDAH combinado. Ansiedade, estresse e compulsão também podem aparecer. Portanto, um sintoma que deve ser observado é se a criança ou jovem está comendo, falando ou fazendo algo compulsivamente, fora de hora ou ao mesmo tempo.

Por fim, instabilidade, baixo nível de tolerância, alta sensibilidade e temperamento explosivo também estão entre os sintomas de TDAH combinado. Contudo, os sintomas não aparecem todos de uma vez e não se apresentam necessariamente na mesma pessoa, pois podem variar de acordo com a intensidade do transtorno.

Primeiros indícios do TDAH

O TDAH se manifesta em diversas fases da vida. Na infância, agitação excessiva e impulsividade são os principais sintomas do transtorno, que também podem se manifestar por meio de comportamentos que demonstrem distração exagerada.

Na adolescência, há dificuldade para organização de tarefas, falta de concentração nos estudos, baixa autoestima, impulsividade e comportamentos inadequados resultantes de impulsos.

Por fim, na vida adulta também é possível diagnosticar o TDAH, caso haja insubordinação no ambiente de trabalho, estresse excessivo, impulsividade, baixa autoestima, dificuldade de concentração e administração de tarefas. Em casos mais graves, ocorre até mesmo dependência de drogas.

Dicas para melhorar a vida da criança com TDAH

Especialistas trazem diversas dicas para garantir a qualidade de vida de crianças e jovens com TDAH. Confira as principais recomendações:

  • O diagnóstico de TDAH deve ser feito exclusivamente por um médico;
  • Use medicação apenas com orientação do médico;
  • Leve seu filho a consultas periodicamente;
  • Estimule atividades para exercitar a concentração através do Método SUPERA
  • Estabeleça regras de forma simples e escreva em locais de fácil visualização;
  • Elogie a criança e diga palavras de incentivo;
  • Evite críticas excessivas;
  • Planeje as atividades com as crianças;
  • Tenha paciência;
  • Ao explicar algo, tenha objetividade;
  • Evite ambientes com muito estímulo visual para a criança;
  • Sempre que uma atividade for iniciada, incentive a finalização;
  • Estimule a prática de atividades físicas;
  • Faça brincadeiras e jogos com a criança;
  • Garanta momentos de descanso com conforto e cuidado.

Assessoria de Imprensa SUPERA

Supera - Ginástica Cerebral, Pratique! Curso para todas as idades

Mantenha-se atualizado. Assine nossa Newsletter



Posts Relacionados