SUPERA capacita professores da rede pública

Publicado em: 12/08/2015 por: Barbara

Supera_capacita_professores_da_rede_publicaO SUPERA está em Lucas do Rio Verde, cidade destaque em educação no Mato Grosso, para a reciclagem dos professores da rede pública que estão aplicando nosso método de estimulação cognitiva nos 6º anos do Ensino Fundamental II.

 A formação está sendo comandada pela coordenadora nacional do Supera, Neide Pereira Cardoso, professora de matemática com 44 anos de experiência em sala de aula, que ajudou a criar o método. Durante o treinamento, Neide concedeu entrevista para o Portal Cenário MT, explicando os benefícios de levarmos a neurociência para a sala de aula.

Supera e você na Disney

 “A estimulação cognitiva proporciona maior concentração para o estudante. O desenvolvimento cognitivo é visível, os alunos se sentem inteligentes e melhoram o foco e também a compreensão daquilo que estão realizando”, afirmou Neide à imprensa.

 Segundo ela, manter a concentração é um dos maiores desafios para os alunos. Então, os professores devem estar preparados para ajudar.

 A formação apresentou ferramentas que podem ser utilizadas na metodologia de estimulação cognitiva, como o material dourado e jogos que envolvem compra e venda de produtos. “A proposta é mostrar aos professores a importância de trabalhar o lúdico para depois passar para o abstrato. Assim, quando chegar o momento, o aluno pode compreender o abstrato”.

 A ginástica cerebral estimula o raciocínio, tornando-o mais rápido e aumentando a concentração dos alunos. Como parte da grade curricular, os alunos dos 6º anos têm uma aula por semana dentro da disciplina de matemática com atividades de estimulação. O projeto atende cerca de 700 estudantes, em 21 turmas das escolas municipais.

 A capacitação teve a participação de 14 professores de matemática. Marcelo Hoffmann, professor da Escola Municipal Olavo Bilac, ressaltou que os benefícios para os estudantes que participam do projeto aumentarão a longo prazo, mas que resultados positivos já são notáveis. “A concentração dos alunos melhorou tanto nas atividades do projeto, quanto nas atividades de matemática que abordam o conteúdo diário”, disse.

 As aulas semanais utilizam as ferramentas ábaco, apostilas com exercícios que envolvem raciocínio lógico, pensamento lateral, desafios matemáticos, soluções inteligentes e interpretação, jogos pedagógicos, dinâmicas em grupo e técnicas neuróbicas para promover estímulos cerebrais.

 De acordo com a secretária municipal de Educação, Elaine Lovatel, o projeto vem como um acréscimo na grade curricular dos 6º anos, período em que os estudantes enfrentam maior dificuldade em matemática. “A estimulação cognitiva vem para somar com os alunos, para auxiliar nessa transição dos anos iniciais para os anos finais do ensino fundamental. Pois hoje em dia, com tanta tecnologia, as crianças têm mais dificuldade de concentração, e esse projeto vem para trabalhar essa questão”.

Barbara

Supera - Ginástica Cerebral, Pratique! Curso para todas as idades

Mantenha-se atualizado. Assine nossa Newsletter



Posts Relacionados