Veja como prevenir o Alzheimer e a perda de memória

Publicado em: 07/03/2019 por: Assessoria de Imprensa SUPERA

O Alzheimer é uma doença que afeta diretamente as funções do cérebro. A patologia degenera as células cerebrais e afeta diversas funcionalidades, como a memória, capacidade de pensamento e, nos casos mais graves, até mesmo os movimentos do corpo, necessários para comer e se comunicar.

prevenção do alzheimer

É essencial manter o cérebro em plena atividade para evitar o surgimento de doenças degenerativas.

É possível classificar o Alzheimer em três tipos: suave, moderado e severo. O primeiro traz dificuldades um pouco mais difíceis de perceber. O paciente não consegue se lembrar de coisas cotidianas, como se pagou uma conta ou não ou se já executou determinada tarefa da rotina.

No segundo caso, há perda de memória de forma mais intensa e confusão mental. Mesmo que a pessoa tenha agilidade física, a mente não acompanha. Neste caso, há risco de esquecimento em tarefas mais significativas.

Supera e você na Disney

Por fim, o Alzheimer severo já configura a morte dos neurônios de forma mais expressiva. Com isso, o tecido do cérebro se encolhe e a doença afeta diversas atividades do paciente.

Entre as causas do Alzheimer estão propensão genética, ou seja, quando a pessoa já tem casos na família, ou a exposição a fatores ambientais, que ainda não são totalmente conhecidos pela medicina.

Neste caso mais grave, fica difícil realizar atividades de comunicação, alimentação e locomoção. O cérebro não consegue controlar os músculos como antes e o paciente pode inclusive ficar acamado.

A falta de estímulos ao cérebro também pode causar a doença. Uma pessoa que não pratica treinamento cerebral de nenhuma maneira tem mais propensão a desenvolver Alzheimer do que uma pessoa com a mente ativa.

Fatores de Risco

Os fatores de risco associados a doenças degenerativas do cérebro estão ligados ao comportamento do paciente e a outras patologias.

Outras doenças como hipertensão, diabetes e depressão são fatores de risco. A condição de sobrepeso também pode contribuir para o surgimento de doenças degenerativas, assim como o tabagismo e estresse.

A falta de exercícios no cérebro também entra na lista de fatores de risco. Uma mente inativa tem muito mais propensão de desenvolver uma doença degenerativa, como o Alzheimer, do que o cérebro de alguém que o exercita.

Combatendo o Alzheimer

Além de manter a saúde do corpo, é importante treinar o cérebro por meio de ginástica cerebral e mantê-lo sempre ativo.

Uma das formas de combater o Alzheimer é utilizar ao máximo os recursos cognitivos, por meio de atividades direcionadas para cada faixa etária, de preferência que sejam prazerosas e tenham o grau de dificuldade gradativamente elevado.

A ginástica para o cérebro é essencial para manter o cérebro em plena atividade e evitar o surgimento de doenças degenerativas, como é o caso do Alzheimer.

Também é importante aliar o método de treinamento cerebral a atividades físicas voltadas para cada faixa etária. A saúde do corpo é um fator que também está ligado à saúde do cérebro.

Portanto, o segredo para afastar o Alzheimer é manter o cérebro ativo e o corpo saudável.

Assessoria de Imprensa SUPERA

Supera - Ginástica Cerebral, Pratique! Curso para todas as idades

Mantenha-se atualizado.
Assine nossa Newsletter

Posts Relacionados