Dieta do cérebro

Publicado em: 01/10/2014 por: Barbara

Dieta do cérebroDiariamente, jornais, revistas e programas de televisão anunciam as orientações de especialistas da área da saúde para a manutenção de uma vida saudável. Mesmo com as atribuições do dia a dia – que tomam cada vez mais o tempo das pessoas – o bem-estar não pode ser deixado de lado.

Afinal, ter qualidade de vida significa manter o equilíbrio do corpo e da mente como um todo. A saúde merece atenção nos mínimos detalhes, desde à realização de exames periódicos e exercícios físicos regulares, até boa alimentação para potencializar os resultados da malhação tanto do corpo, quanto do cérebro.

Inúmeras descobertas feitas por grandes centros de pesquisas comprovam que o cérebro também necessita de cuidados. Praticar exercícios para o cérebro estimula o fortalecimento das conexões entre os neurônios. Isso traz inúmeros benefícios à saúde, que se refletem na saúde física.

Supera e você na Disney

Os cuidados com a alimentação podem evitar demência, câncer e doenças degenerativas do cérebro. Para evitar esses problemas, é importante optar por alimentos que favoreçam as células nervosas e auxiliem no processo de memorização.

Confira a lista abaixo, e inclua na dieta os alimentos que contribuem para o bom funcionamento das funções cerebrais.

Gema de ovo: rica em colina, nutriente fundamental para o desenvolvimento cerebral, relacionada à memória. Este nutriente também está presente na soja e no bife de fígado.

Brócolis: contém ácido fólico, que diminui em até 55% o risco de doenças degenerativas, como o Alzheimer, segundo especialistas da US National Insitute on Aging.

Ômega 3: mais conhecido entre os nutrientes que trazem benefícios ao cérebro, está presente principalmente no salmão e no atum. O ácido graxo que também compõe o alimento, funciona como um importante antioxidante, que protege os neurônios da ação dos radicais livres.

Frutas secas: nozes, castanhas, amêndoas e amendoim agem como antioxidantes e ainda auxiliam na capacidade intelectual.

Alimentos crus: prefira as verduras sem cozimento, que não perdem o ácido fólico, benéfico para o tecido nervoso.

Adotar uma dieta saudável ajuda a prevenir desde pequenos lapsos de memória até graves doenças neurológicas degenerativas. Somado à isso, a prática da ginástica cerebral deixa o cérebro trabalhando a mil e de uma maneira saudável.

Quanto mais conexões entre os neurônios, melhor será seu funcionamento. E isso se deve aos estímulos que são enviados ao cérebro, por meio de atividades que deixam a “cabeça ocupada”, seja estudando, aprendendo coisas novas, encontrar outras formas de resolver o mesmo problema.

Tudo isso também é considerado como ginástica cerebral e  faz bem ao cérebro de crianças, jovens, adultos e idosos. Equilibre sua dieta e mantenha hábitos saudáveis, para terem um cérebro mais potente.

Barbara

Supera - Ginástica Cerebral, Pratique! Curso para todas as idades

Mantenha-se atualizado.
Assine nossa Newsletter

Posts Relacionados