As funções executivas no cérebro do seu filho

Publicado em: 02/09/2016 por: Assessoria de Imprensa SUPERA

funções executivas

Alunos do SUPERA desenvolvem as funções executivas por meio dos jogos

As funções executivas ajudam seu filho a pensar antes de agir

Funções executivas são habilidades cognitivas essenciais para nosso êxito na escola e na vida. Não nascemos com habilidades que nos permitem controlar impulsos, fazer planos e manter o foco. Nascemos com potencial para desenvolver essas capacidades, dependendo das experiências que temos na primeira infância e na adolescência.

Nas crianças, as funções executivas são ingredientes fundamentais para o desenvolvimento. Não se trata apenas de aprender a linguagem, números ou cores. Elas precisam estar aptas a trabalhar efetivamente com os outros, com distrações e com múltiplas demandas.

De acordo com Solange Jacob, especialista em funções executivas do cérebro e Diretora Pedagógica Nacional do SUPERA, as funções executivas consistem em um conjunto de processos cognitivos que se dão no córtex pré-frontal.

“Funções executivas são um grupo de habilidades que nos ajudam a focar em múltiplos fluxos de informação ao mesmo tempo, monitorar erros, tomar decisões com base em informações disponíveis, rever planos e, se necessário, resistir à tentação de deixar a frustração nos conduzir a ações precipitadas”, diz a especialista.

Supera e você na Disney

Pesquisadores acreditam que, neste processo, estão envolvidas três categorias de competências. São elas: Controle inibitório, memória de trabalho e flexibilidade cognitiva.

Para compreender, considere este exemplo: uma criança precisa se revezar com outras em alguma atividade. Então, em primeiro lugar, ela precisa ter controlo inibitório, porque terá que parar tudo o que estiver fazendo e deixar a outra criança ter a vez.

Mas, quando for a sua vez novamente, vai precisar se lembrar do que supostamente deveria estar fazendo. Isso está na memória de trabalho.

Em uma brincadeira em que várias crianças precisam repetir uma sequência de gestos, como por exemplo no Passa-Anel, se uma delas errar, a criança que for realizar a sequência depois, não pode se perder. Para isso, ela precisa ter o que chamamos de flexibilidade cognitiva.

Para desenvolver as funções cognitivas do seu filho, fique atento ao seu relacionamento com ele

Mantenha uma relação positiva com seu filho para ajudá-lo a se preparar melhor para lidar com situações estressantes, o que, por sua vez, o ajudará a desenvolver suas funções executivas.

Seja afetuoso e sensível às necessidades do seu filho.

Use métodos brandos de disciplina tais como o diálogo e sugestões, principalmente quando você quiser que ele faça ou deixe de fazer alguma coisa.

Incentive seu filho a ser independente, ajudando-o em suas atividades somente quando ele precisar.

Tente manter as atividades domésticas e rotinas consistentes e organizadas.

Existem atividades que podem melhorar as funções cognitivas do seu filho

Incentive-o a se envolver em brincadeiras sociais de faz-de-conta com outras crianças (especialmente brincadeiras onde ele precise assumir um papel e se adaptar à “história” conforme ela vai mudando).

Escolha jogos para o cérebro no computador que ajudem a desenvolver as funções executivas.

Incentive seu filho a fazer meditação, música, artes marciais, dança, ginástica cerebral ou atividades aeróbicas. Escolha atividades que sejam suficientemente desafiadoras para mantê-lo motivado.

Pergunte ao professor da pré-escola ou da educação infantil como ele está se ajustando ao participar das atividades diárias (por exemplo, seguir instruções, controlar seus impulsos).

Por Bárbara Rocha, Comunicação SUPERA

Assessoria de Imprensa SUPERA

Supera - Ginástica Cerebral, Pratique! Curso para todas as idades

Mantenha-se atualizado. Assine nossa Newsletter



Posts Relacionados