Empresas e escolas adotam jogos para o cérebro

Publicado em: 19/09/2017 por: Leticia Maciel

Empresas e escolas adotam jogos para o cérebro - SUPERA - Ginástica para o Cérebro

Escola municipal em Claudia, no Mato Grosso, usa jogos do SUPERA Ginástica para o Cérebro para melhorar o rendimento dos alunos

Jogos para o cérebro: treine suas habilidades de raciocínio, liderança e trabalho em equipe

Cada vez mais, empresas e escolas estão retomando o uso dos tradicionais jogos de tabuleiro para exercitar habilidades cognitivas e socioemocionais em seus colaboradores e alunos.

Com a chegada dos games na internet, sobretudo os voltados para desenvolvimento específico das habilidades do cérebro, a atividade está se tornando ainda mais popular e acessível. Até bares de capitais e cidades do interior do Brasil estão oferecendo jogos para treinar habilidades como raciocínio, trabalho em equipe e liderança.

Em setembro, o SUPERA fechou uma parceria com a Beecorp, empresa especializada em assessorar, implantar e desenvolver programas de bem-estar corporativo. São programas de qualidade de vida no trabalho e ações de promoção da saúde que já beneficiaram mais de um milhão de pessoas em todo Brasil.

O diretor do Supera Online, Luiz Moraes, representou o SUPERA em um evento organizado pela BEECORP, que teve a participação de 500 colaboradores da Roche, uma das maiores empresas de produtos farmacêuticos do Brasil. Os participantes tiveram oportunidade de treinar o cérebro com os jogos on-line disponibilizados em totem na sala de conferência.

Entrevista com Solange Jacob sobre jogos para o cérebro em empresas, escolas e bares

A seguir, você vai ler uma entrevista sobre os benefícios dos jogos com a especialista em desenvolvimento cognitivo Solange Jacob, diretora nacional do Supera Ginástica para o Cérebro.

Jacob explica como podemos melhorar nossa performance com jogos, utilizando estes benefícios para ir bem na carreira, nos estudos e nas relações pessoais.

BLOG DO SUPERA – Quais os benefícios dos jogos em adultos/profissionais? Que tipo de retorno uma empresa que investe neste método para aumentar as habilidades de seu funcionário pode receber? 

Solange Jacob – Os jogos de tabuleiro exercitam o cérebro e desenvolvem competências que geram grande aumento de produtividade, tanto para os níveis gerenciais quanto para as linhas de produção, já que os colaboradores desenvolvem:

  • maior capacidade para resolver problemas de forma criativa
  • agilidade na execução de tarefas que requerem concentração, foco e habilidade manual
  • maior velocidade na detecção e resolução de problemas
  • maior capacidade de gerar novas soluções para melhorias de processos
  • redução do estresse, pois as tarefas são executadas com mais facilidade
  • maior capacidade de liderança, trabalho em equipe (melhora nos relacionamentos interpessoais)
  • redução dos acidentes de trabalho (maior capacidade de atenção nas tarefas)

BLOG DO SUPERA – Como as brincadeiras e os jogos de tabuleiros estimulam o cérebro das crianças?

Solange Jacob é Diretora Pedagógica Nacional do Método SUPERA

Solange Jacob é Diretora Pedagógica Nacional do Método SUPERA

Os jogos pedagógicos e as atividades lúdicas estão ganhando cada vez mais espaço na inovação das metodologias de ensino e aperfeiçoamento dos processos de aprendizado, principalmente, quando o objetivo é o desenvolvimento global do aluno.

Além do aspecto cognitivo, as brincadeiras proporcionam oportunidades adequadas para o desenvolvimento humano na interação social, na expressão afetiva, na evolução da linguagem, na experimentação de possibilidades motoras, apropriação de regras sociais e imersão no universo cultural.

É possível considerar o uso do jogo como fundamental no âmbito escolar quando se trabalha com grupos.

Os jogos em grupo encorajam o desenvolvimento da autonomia intelectual e da habilidade social das crianças. Como aspectos igualmente importantes e complementares, pode-se dizer que os jogos em grupo incentivam o pensamento crítico saudável, o comportamento cooperativo, a autoconfiança, a expressão de sentimentos e de ideias, a iniciativa e o questionamento.

Os pedagógicos permitem que a criança busque compreender outros pontos de vista, coordenando ou administrando essas diferenças individuais no modo de pensar.

O brincar permite um jogo de imaginação no qual a criança desenvolve atenção e concentração, além de exprimir o que sente, desenvolvendo o aspecto socioemocional. Proporciona o “aprender fazendo”.

BLOG DO SUPERA – Alguns bares são adaptados para que as pessoas joguem jogos de tabuleiro tipo War/Banco Imobiliário. Jogar em locais mais descontraídos muda o efeito dos jogos na mente da pessoa? Exemplo: diminui a habilidade de atenção e foco?

 

Em um ambiente com muitos estímulos como bares, precisamos de mais atenção. A pessoa tem que ter mais foco no que está fazendo.

É algo muito básico, mas fundamental, para o mecanismo de atenção é ter desatenção. Se eu ficar só atento às coisas, eu fico pulando de estímulos. Eu tenho que saber escolher um estimulo e diminuir os outros. E isto é difícil, isto requer treino. Isto depende de mecanismo de processamento cerebral de controle cerebral muito grande.

Ter foco não é difícil. É só ter algo interessante entrando pelos seus canais sensoriais (música, conversar paralelas, televisores, barulho de copos, pessoas entrando no seu campo visual, carros na rua, cheiro das comidinhas servidas, sabor das bebidas, perfumes…). O problema não é ter foco, o problema é se manter nele, é desativar os outros focos. Se muda o estímulo do ambiente, não é difícil este estímulo se tornar o foco. O difícil é desfocar.

Dessa forma, um ambiente tão complexo quanto um bar, pode ser uma forma divertida de treinar a atenção seletiva. A atenção seletiva se refere à capacidade de priorizar determinados estímulos em detrimento de outros. ”É o chega pra lá” ao que não é tão importante no momento.

Esta capacidade pode ser treinada, para conseguirmos, por exemplo, manter o foco em nossas estratégias.

Ao mesmo tempo, é importante ter moderação, ambientes com estímulos em excesso podem sobrecarregar o cérebro e trazer estresse. O importante é encontrar equilíbrio nas experiências que se oferece ao cérebro.

BLOG DO SUPERA – Quantas vezes por semana as pessoas deveriam jogar? Por quê?

Não existe uma frequência mais indicada e, sim, um equilíbrio entre os diferentes tipos de experiências. O cérebro precisa de novidade, ou seja, jogos novos e variados e que tenham um grau de desafio crescente. Este é, aliás, o princípio da ginástica cerebral seguido no SUPERA. Experiências de qualidade devem ser variadas e ter constância. Jogar um jogo várias vezes é outro fator importante.

A cada novo contato com o mesmo jogo, suas estratégias serão mais elaboradas e serão adicionadas as estratégias anteriores. O cérebro precisa de repetição para fortalecer padrões neurais, então repetir o mesmo jogo, intercalando com outros jogos, é uma ótima forma de “ginástica” para o cérebro.

O ideal é acrescentar à sua agenda semanal um tempo para jogos de qualidade e principalmente jogos coletivos, pois a interação social é fundamental para uma boa saúde do cérebro.

 

Supera - Ginástica Cerebral, Pratique! Curso para todas as idades

Mantenha-se atualizado.
Assine nossa Newsletter

Posts Relacionados