Como estudar com meu filho

Publicado em: 24/08/2017 por: Leticia Maciel

Como estudar com meu filho - SUPERA - Ginástica para o Cérebro

Pais podem ajudar os filhos a construir memórias para aprender melhor

Como estudar com meu filho – dicas preciosas de especialista!

Comensalismo, inquilinismo e parasitismo… Planalto, planície e depressão… jesuítas, senhores feudais e …. Quem mais poderia ajudar nosso cérebro a memorizar tantos conceitos, sobretudo quando entramos em contato com elas pela primeira vez aos nove anos de idade?

Este é o desafio de toda criança e… um desafio também para mães e pais que se dedicam a estudar com os filhos. 

Segundo a especialista em desenvolvimento cognitivo do SUPERA Ginástica para o Cérebro, Solange Jacob, nós não conseguimos aprender coisas extremamente novas.

“Conseguimos aprender coisas que envolvam memórias e memórias que já estejam no meu cérebro, as memórias construídas e as que ainda possam ser reconstruídas em termos sensoriais”, explica Jacob

Mas… se precisamos de memória para aprender, como aprendemos quando ainda somos pequenos e não temos muitas memórias consolidadas?

A seguir, Solange Jacob fala sobre como estudar com os filhos. A partir destas estratégias, você poderá ajudá-lo a criar e a consolidar memórias. Construindo memórias, ele conseguirá lembrar do que estudou na hora da prova.

Mas antes de começar, a especialista chama a atenção para um aspecto importante dos momentos de estudos: o ambiente.

O ambiente é o responsável pela reorganização das memórias desde o nascimento. Isto é fundamental para entender como as memórias se organizam no cérebro e como elas vão ser reorganizadas ao longo da vida, com mais ou menos flexibilidade, de forma superficial ou de forma mais intensa?

Considerando este ponto, vamos às dicas:

 

  • Pergunte ao seu filho o que ele já sabe sobre o tema que está sendo estudado. deixe-o falar com os palavras dele.
  • Anote algumas ideias que ele falou e mostre-se sinceramente interessado.
  • Pergunte a ele onde ele pensa que este conceito pode ser aplicado (se ele já viu isso acontecer no mundo real). Depois pergunte a ele quais foram os exemplos que o professor forneceu para ilustrar o conceito.
  • Se possível, pesquise antes sobre o assunto, para ajuda-lo melhor
  • Adote a prática de dar significado ao conceito. Para isto, entenda seu significado antes de dar exemplos ilustrativos. Exemplo: Comensalismo vem da ideia de “dividir a mesa”. Comensais dividem as refeições.
  • Transfira esta generalização para o contexto em que ele está aprendendo: é uma relação onde duas espécies diferentes que convivem uma com a outra, sendo que uma se beneficia, a outra nem liga para o que está acontecendo e ninguém é prejudicado.
  • Também ajude seu filho a evocar o conceito por meio de “sinalizadores”: observe que a palavra comensalismo já tem pistas à que se refere: comem… então acrescente emoção na voz “COMEM.. tipo faça voz de “baleiês” e acrescente que um exemplo bom é o que acontece entre o tubarão e a rêmora, que é um peixe pequeno e se aproveita dos restos da alimentação do tubarão.
  • Acrescente gestos, caras e bocas para exemplificar o tubarão e a pequena rêmora “aproveitando-se das migalhas” deixadas pelo tubarão e ele não está nem aí para o que acontece, até dá carona para a rêmora.
  • Como estamos na era digital, e certamente seu filho gosta de assistir a vídeos na internet, abra mão do que tem disponível: Você pode “se ajudar” assistindo, por exemplo ao breve vídeo sobre Comensalismo: https://www.youtube.com/watch?v=UznWjMHjL5Q
  • Não transforme o momento de estudo em mais um pedaço da aula. Seu filho precisa de canais sensoriais sendo ativados por diferentes estímulos.
  • Faça anotações dos conceitos em post-it e cole-os no local de estudo de seu filho ou onde ele sugerir que possa ser visualizado mais vezes durante o dia.
  • Não deixe a aula da escola se distanciar muito do seu dia de estudo com seu filho. O ideal mesmo é rever o conteúdo que foi dado no dia, antes de dormir. Mas não se culpe ou se desespere. Incremente suas estratégias e faça da aula da escola como se fosse o primeiro contato com o assunto e de maneira simples aborde-o com outras estratégias.
  • Aplique estas sugestões para os demais conceitos (quanto ao inquilinismo, use o conceito de inquilino numa casa) e depois reorganize as ideias em um quadro desenhando à mão, junto com ele.
  • Se estiver disposto, crie pequenos singles com o conteúdo e acrescente melodias conhecidas! Músicas fazem bem ao cérebro e facilitam a memorização.
Supera - Ginástica Cerebral, Pratique! Curso para todas as idades

Mantenha-se atualizado.
Assine nossa Newsletter

Posts Relacionados