Conheça os benefícios da ginástica cerebral

Publicado em: 07/07/2017 por: Leticia Maciel

Você já conhece os benefícios da ginástica cerebral?

Você gostaria de ter a memória mais aguçada, concentrar-se com mais facilidade nas atividades do cotidiano e ter mais criatividade para resolver problemas?

Estes são apenas alguns dos benefícios da ginástica para o cérebro, prática que tem ganhado cada vez mais adeptos em todo o mundo.

A ginástica para o cérebro tem base na neurociência, mais especificamente no conceito de neuroplasticidade cerebral, ou seja, a capacidade que nosso cérebro tem de se modificar de acordo com estímulos recebidos.

Quanto maior é o número de conexões e redes entre os neurônios e quanto mais elas são ativadas, mais fortalecida fica nossa reserva cognitiva. Uma reserva cognitiva maior contribui, entre outras coisas, para a longevidade. 

A ginástica cerebral oferece ao cérebro novidade, variedade e desafios crescentes que tiram o cérebro da zona de conforto, fortalecendo e ampliando as redes de conexões.  Com isso, aumentamos nossa capacidade de aprender. Um cérebro que é constantemente estimulado mantém o interesse por novos conhecimentos.

Os benefícios da ginástica cerebral são inúmeros.  Os exercícios estimulam o cérebro em três eixos. Um deles é o comportamental cognitivo, que estimula habilidades como as que citamos no início da matéria, como memória, concentração e criatividade, além da capacidade de interpretar, refletir e pensar de forma abstrata.

Quem garante melhor funcionamento dos neurônios, também garante mais eficiência nas tarefas que exigem agilidade nas respostas do cérebro e mais superação diante das dificuldades.

Outro deles é o socioemocional, em que o aluno desenvolve espírito colaborador, habilidade para estar aberto a novas ideias, lidar com desafios, comunicação, superação de conflitos e autoconfiança.

O terceiro é o ético, em que os exercícios para o cérebro ajudam ainda o indivíduo a “aprender a ser”, segundo Solange Jacob, Diretora Pedagógica Nacional do Método SUPERA, rede de escolas dedicadas ao cérebro com mais de 300 franquias em todo Brasil.

E os neurocientistas, o que eles dizem sobre a eficácia da ginástica cerebral. Com a palavra, a neurocientista Carla Tieppo

“Estamos acostumados a medir resultados de ginástica em centímetros ou quilogramas perdidos ou ganhos. Já os resultados da ginástica cerebral não são tão visíveis a olho nu.

Vamos a academia ou corremos na rua para obter resultados bastante palpáveis e, que mesmo que demore um pouco, são facilmente percebidos. Basta que façamos as atividades com bastante disciplina.

Mas, quando o assunto é ginástica cerebral, a maioria dos progressos pode nunca ser percebido. E a razão para que isso seja assim está diretamente relacionada com a forma com que o nosso cérebro funciona.

Reconhecer as nossas dificuldades não é uma tarefa complexa. É fácil perceber quando nossa memória parece falhar, quando enfrentamos dificuldades em entender uma explicação na escola ou quando não conseguimos nos concentrar direito. Mas é bem mais difícil nos darmos conta quando essas dificuldades estão sendo superadas, especialmente se esses avanços forem diários e bem pequenos.

E a razão para isso é muito simples: damos muito mais atenção à falta, ao que não temos. E quando essa falta é suprida, ela já não chama mais atenção e deixa de ser notada, principalmente se a mudança tiver sido bem paulatina.

Assim, diferentemente da ginástica que nos emagrece e nos deixa visivelmente mais tonificados, a ginástica cerebral irá trabalhar justamente nas suas principais dificuldades e as melhorias na performance que serão obtidas são gradativas e muitas vezes podem passar desapercebidas.

Mas, o princípio que nos orienta a construir exercícios que podem trazer benefícios para o seu cérebro também se baseia diretamente no funcionamento dele. A ginástica cerebral propõe exercícios com dificuldade crescente para que os circuitos neuronais responsáveis por essas funções possam ir fortalecendo suas conexões e para que cada vez seja mais fácil usá-los. E não tem problema se durante sua ginástica cerebral você cometer erros ou sentir dificuldade em realizar a tarefa. São justamente esses elementos que farão com que o resultado seja ainda melhor. O erro orienta nosso cérebro a saber como não devemos fazer e a dificuldade mostra que estamos trabalhando sobre circuitos pouco estimulados. Acredite no seu potencial. Exercite seu cérebro!”

Assista a um vídeo sobre os benefícios da ginástica cerebral

 

 

Supera - Ginástica Cerebral, Pratique! Curso para todas as idades

Mantenha-se atualizado.
Assine nossa Newsletter

Posts Relacionados